Expedição levará tratamento odontológico para o interior de Rondônia

Participantes atenderão a população urbana e rural por 15 dias, realizando tratamento nas áreas de odontologia e fonoaudiologia

Por - Editorias: Extensão
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
20160708_FOB
Atendimento realizado na edição da expedição, em 2015 | Foto: Divulgação FOB/USP

Nesta sexta-feira, dia 8 de julho, um ônibus parte de Bauru, no interior de São Paulo, rumo à cidade de Monte Negro, em Rondônia, levando 42 integrantes da 33ª Expedição do Projeto FOB/USP em Rondônia, que completa neste ano 14 anos de existência.

A expedição é integrada por alunos de graduação e pós-graduação em Odontologia e Fonoaudiologia, professores e funcionários da Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB) da USP e da Prefeitura do Campus.

Durante 15 dias, a expedição vai atender a população urbana e rural, realizando tratamento reabilitador e preventivo nas áreas de Odontologia e Fonoaudiologia. Os integrantes da expedição ficam em alojamento, com suporte do Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da USP, coordenado pelo professor doutor Luís Marcelo Aranha Camargo. O retorno está marcado para o dia 22 de julho.

Em Monte Negro, o projeto é composto de duas disciplinas: uma de graduação e outra de pós-graduação. Todos os alunos são preparados para a realidade do local, recebendo instruções específicas tanto numa primeira disciplina ministrada na FOB, quanto nos trabalhos de campo no interior de Rondônia.

Além do médico e professor da USP, Luís Marcelo Aranha Camargo, os alunos são supervisionados pela professora doutora do Departamento de Fonoaudiologia, Magali de Lourdes Caldana e por José Roberto de Magalhães Bastos, professor titular do Departamento de Odontopediatria, Ortodontia e Saúde Coletiva da FOB, ambos coordenadores do Projeto.

O atendimento populacional conta com a colaboração da Prefeitura Municipal de Monte Negro. As ações fazem parte de estratégia da FOB e do ICB, no sentido de apoiar e desenvolver as pesquisas de ponta realizadas na região Amazônica, principalmente na área das doenças tropicais. Segundo os coordenadores do projeto, a população beneficiada tem recebido ações médicas com orientação do professor Marcelo Camargo, e cuidados odontológicos e fonoaudiológicos tanto preventivos como restauradores, em especial as extrações dentárias, necessárias numa região de precárias condições de saúde, com um relato acentuado de dores de dente.

Nos últimos anos, para repor os dentes perdidos, a FOB estabeleceu uma política de tratamento, que resultou na colocação de centenas de próteses dentárias. São realizados cuidados de higiene e fluorterapia com as crianças escolares, tratamentos endodônticos, periodontais e restaurações dentárias, dentre outros procedimentos.

A fonoaudiologia atua em várias áreas, na linguagem, na voz, e na saúde coletiva. O ponto alto tem sido a audiologia através da adaptação de aparelhos auditivos doados por grandes empresas para o Projeto, que já recebeu centenas de aparelhos auditivos, resultando na satisfação dos cidadãos que não imaginavam mais poder ouvir.

Com informações da Assessoria de Comunicação da PUSP-B

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados