Arte de Beatriz Abdalla/Jornal da USP sobre fotos de Marcos Santos/USP Imagens e Cecília Bastos/USP Imagens

Em 30 anos, USP duplica o número de alunos na graduação

Crescimento de 31 para 59 mil estudantes foi acompanhado por ampliação de vagas e cursos, além da adoção de cotas sociais e investimento em permanência estudantil

08/10/2020

Hérika Dias

Está no artigo 2º do decreto de criação da USP, em 1934, como um dos fins da Universidade: a formação de pessoas aptas ao exercício da investigação filosófica, científica, artística, literária e desportiva, bem como ao do magistério e de atividades profissionais. Junto com a pesquisa, extensão e pós-graduação, o oferecimento de cursos gratuitos de nível superior é um dos pilares da Universidade. E tem contribuído para formar profissionais em todas as áreas do conhecimento. Somente de 1989 a 2019, a USP praticamente dobrou a quantidade de vagas e cursos de graduação disponíveis, além de alunos matriculados. Há trinta anos, eram 31,8 mil estudantes; no ano passado, o número chegou a 59 mil. O crescimento foi acompanhado por mais vagas, de 6,7 para 11,1 mil, e mais opções de cursos, de 126 para 340.

É o que mostra o Anuário Estatístico da USP 2020, publicado pelo Escritório de Gestão de Indicadores de Desempenho Acadêmico (Egida), que traz informações sobre a Universidade a partir de dados compilados no ano passado. Nesta reportagem, o Jornal da USP traz um perfil da graduação da Universidade baseado nos dados do anuário.

icone_universidade_USP
Em um universo de cerca de 210 mil pessoas que compõem a comunidade USP, os estudantes de graduação representam quase a metade. Há ainda alunos de pós-graduação, professores, pesquisadores, funcionários, estudantes de ensino fundamental, médio e técnico. Apesar de ser uma universidade, a USP mantém um colégio técnico em Lorena, que oferece ensino médio e curso técnico; uma escola de arte dramática, em São Paulo, com curso técnico para formação de atores; e uma escola de aplicação com ensino fundamental e médio, em São Paulo. Por isso a presença de alunos de outros níveis de ensino.

Comunidade USP em 2019

icone_aluno_USP
0 .097
alunos de graduação
0 .228
alunos de pós-graduação
0 .368
servidores técnico-administrativos
0 .383
professores e pesquisadores
3. 0
Pós-doutorandos
1. 0
alunos de ensino fundamental, médio e técnico

Graduação na USP 1989 - 2019

Vagas oferecidas

1989

6.748

2019

11.147

Número de cursos

1989

126

2019

340

Número de estudantes

1989

31.897

2019

59.097

Mais do que ampliar sua capacidade de formar novos profissionais, a Universidade atuou para modificar o perfil de seus alunos. Em 2016, aderiu ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do Ministério da Educação, no qual instituições públicas oferecem vagas para candidatos participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os estudantes com melhor classificação são selecionados, de acordo com suas notas no exame. Parte dessas vagas é reservada a estudantes de escolas públicas e alunos do ensino público autodeclarados pretos, pardos ou indígenas (PPIs).

Desde então, a USP passou a contar com duas formas de ingresso: Sisu e vestibular, que é organizado pela Fuvest. Em 2017, as cotas sociais e raciais passaram a fazer parte da política institucional da USP e com metas: ter metade dos seus alunos ingressantes vindos de escolas públicas e 37% de PPIs até 2021. A meta já foi quase batida um ano antes: no ingresso de 2020, 47,8% vieram de escola pública e 44,1% eram PPIs.

icone_igualdade_racial

Mais alunos de escolas públicas vêm sendo acompanhados de mais investimento em permanência estudantil. Hoje, a Universidade oferece auxílio-alimentação, auxílio-moradia, vagas em moradias em espaços da USP, auxílio-transporte, auxílio-livros e bolsas de estudo baseados em critérios socioeconômicos. Considerando todos os estudantes, a Universidade ainda fornece subsídio alimentação, monitorias e estágios, atendimento de saúde e educação física e esporte.

Investimento com permanência estudantil

2016

206 milhões

2017

217 milhões

2018

215 milhões

2019

226 milhões

Gênero dos estudantes

Criado na década de 1980, o Anuário Estatístico mantém um padrão de dados para permitir o acompanhamento da evolução da Universidade ao longo dos anos. Por isso, dentro da pesquisa de gênero há apenas as opções masculino e feminino.

icone_genero

Os dados do ano passado revelam que a presença de homens ainda domina o ambiente universitário, principalmente em unidades nas quais são oferecidos cursos ligados à engenharia, ciências matemáticas e física. Na Escola Politécnica, em São Paulo, são 983 alunas, já os matriculados homens chegam a 4.263. O mesmo ocorre na Engenharia de São Carlos, são 548 mulheres e 2.158 homens.

A proporção alta do público feminino está mais presente em cursos ligados à área de saúde, como o da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto: são 495 mulheres e 81 homens. A situação é parecida na Faculdade de Educação, em São Paulo, 761 mulheres e 185 homens.

Divisão por gênero na graduação em 2019

Homens

32.588

Mulheres

25.509

Onde estão os alunos da USP?

A Universidade mantém hoje campi nas cidades de São Paulo, Ribeirão Preto, São Carlos, Piracicaba, Pirassununga, Bauru, Lorena e Santos. É nesses espaços que ocorrem as aulas de graduação e as atividades da USP. Ao participar do Sisu ou do vestibular, o estudante deve escolher um curso e verificar a cidade onde ele será oferecido. 

Algumas graduações possuem opções em diferentes campi, mas é importante lembrar que o enfoque do curso não é igual. Um exemplo é o curso de Matemática Aplicada. Tem a opção em São Paulo em matemática aplicada apenas ou foco em computacional; em Ribeirão Preto, voltada a negócios; e em São Carlos, direcionada à computação científica.

A maior parte dos 340 cursos de graduação se concentra na cidade de São Paulo e, consequentemente, os 59.057 estudantes. A unidade da USP que mais possui alunos matriculados é a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH): 8.432. Escola Politécnica, 5.037, ambas em São Paulo.

Cursos por campi 2019

São Paulo

68,8%

Ribeirão Preto

14,7%

São Carlos

9,7%

Piracicaba

2,6%

Lorena

2,2%

Pirassununga

1,2%

Bauru

0,8%

alunos por campi 2019

São Paulo

68,5%

Ribeirão Preto

11,6%

São Carlos

9,1%

Piracicaba

3,8%

Lorena

3,6%

Pirassununga

2,4%

Bauru

0,7%

Os cursos mais concorridos na Fuvest

Anualmente, a USP realiza seu vestibular que é organizado por um fundação da Universidade: a Fuvest. Parte das vagas é oferecida via esse sistema de seleção. Ele é um dos mais concorridos do País. No vestibular realizado no ano passado para o ingresso em 2020, foram 117.021 inscritos, mais 12.129 treineiros. A maior parte dos inscritos são mulheres (56,07%). 

Entre os cursos mais concorridos do processo de seleção, a liderança é da Medicina, em São Paulo. Cada vaga tem uma concorrência média de 129 pessoas.

Relação número de candidatos por vaga no vestibular 2020

Carreira Candidato/vaga
Medicina - São Paulo 129,5
Medicina – Bauru124,2
Medicina – Ribeirão Preto89,0
Psicologia - São Paulo73,7
Relações Internacionais - São Paulo58,6
Curso Superior do Audiovisual46,9
Psicologia – Ribeirão Preto43,2
Medicina Veterinária - São Paulo42,9
Ciências Biomédicas - São Paulo37,2
Design - São Paulo32,4
Publicidade e Propaganda - São Paulo31,2
Fisioterapia - São Paulo31,2
Arquitetura - São Paulo25,9
Jornalismo29,1
Artes Visuais26,6

Perfil dos candidatos inscritos x perfil dos candidatos aprovados via Fuvest 2020 de acordo com a área do conhecimento

BIológicas

inscritos

Total inscritos

51.801

matriculados

Total matriculados

1.914

Mulheres

69,1%

Homens

30,9%

Mulheres

61,1%

Homens

38,9%

Brancos

74%

Pretos

4,1%

Pardos

17,2%

Amarelos

4,5%

Indígenas

0,2%

Brancos

73,9%

Pretos

4,7%

Pardos

15,2%

Amarelos

6,1%

Indígenas

0,1%

Ensino médio em escola particular

60,2%

Ensino médio em escola pública

30,8%

Ensino médio em escola particular

57,2%

Ensino médio em escola pública

36,1%

Exatas

inscritos

Total inscritos

24.114

matriculados

Total matriculados

2.971

Mulheres

26,9%

Homens

73,1%

Mulheres

26,2%

Homens

73,9%

Brancos

72,9%

Pretos

3,7%

Pardos

17,1%

Amarelos

6,2%

Indígenas

0,2%

Brancos

70,3%

Pretos

5%

Pardos

18,6%

Amarelos

6,2%

Indígenas

0%

Ensino médio em escola particular

59%

Ensino médio em escola pública

32%

Ensino médio em escola particular

41,9%

Ensino médio em escola pública

51,4%

Humanas

inscritos

Total inscritos

41.106

matriculados

Total matriculados

3.416

Mulheres

56,8%

Homens

43,2%

Mulheres

48,9%

Homens

51,10%

Brancos

72,4%

Pretos

5,8%

Pardos

17,6%

Amarelos

4,1%

Indígenas

0,2%

Brancos

73,2%

Pretos

6,3%

Pardos

15,4%

Amarelos

5%

Indígenas

0,1%

Ensino médio em escola particular

56,6%

Ensino médio em escola pública

33,3%

Ensino médio em escola particular

22,1%

Ensino médio em escola pública

62,5%

A Universidade e o mundo

Em 2019, 1.193 estudantes estrangeiros escolheram a USP para complementar os seus estudos universitários. A maior parte são mulheres (652) e o país de origem predominante foi a França (219). As unidades que eles mais buscaram foram a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (145) e a Faculdade de Medicina (138), em São Paulo.

icone_intercambio

Já a Universidade encaminhou 2.190 alunos para realizar parte de seus estudos em universidades estrangeiras e o país mais escolhido foi a França.

Os 5 países que mais enviaram estudantes universitários à USP

País de origem Número de estudantes
França219
Peru154
Colômbia115
Alemanha86
México81

Os 5 países que mais receberam estudantes da usp

País Número de estudantes
França552
Portugal283
Alemanha278
Itália259
Espanha153

Para conferir todos os dados disponibilizados no Anuário Estatístico USP 2020, acesse uspdigital.usp.br/anuario/AnuarioControle# 


.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.