E-book explica a neurociência por meio da criatividade e da arte

Projeto desenvolvido com alunos de graduação e pós-graduação da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto aborda os sentidos, os movimentos e os comportamentos humanos

 15/06/2021 - Publicado há 4 meses  Atualizado: 17/06/2021 as 10:59
Por
Publicação destaca competências científicas, criativas e humanas [clique na imagem para ver a publicação] – Arte sobre foto/Freepik
.

Explicar o funcionamento do cérebro de forma criativa, simples e prazerosa para quem não é cientista é um dos principais objetivos do e-book Neurociência Crítica e Criativa nos Tempos da Pandemia de Covid-19. A obra, coordenada por Norberto Garcia-Cairasco, professor do Departamento de Fisiologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP, foi pré-lançada durante a décima edição da Semana Nacional do Cérebro, iniciativa realizada em todo o Brasil anualmente para divulgar avanços e benefícios resultantes dos estudos do cérebro.

O livro virtual com mais de 400 páginas reúne textos e vídeos sobre temáticas ligadas à neurociência, como os sentidos, movimento e comportamento. O conteúdo foi desenvolvido por 100 alunos do curso de Medicina e por 30 pós-graduandos de todo o País matriculados no Programa de Pós-Graduação em Fisiologia do Departamento de Fisiologia durante disciplinas da FMRP ministradas em formato remoto pelo professor Garcia-Cairasco no primeiro semestre de 2020.

Norberto Garcia Cairasco – Foto: Divulgação/UFMG

“Essa é uma das mais gratificantes experiências que já tive, como ser humano, docente, investigador e divulgador de ciência. A proposta foi além do ensino técnico, pois olhamos os conteúdos com uma abordagem reflexiva e crítica, valorizando as competências científicas, criativas e humanas”, afirma o professor Garcia-Cairasco.

O livro é divido em três partes. No primeiro bloco, estão os trabalhos de graduandos sobre os temas Sentidos, Movimento e Comportamento. O segundo bloco, com o material produzido por pós-graduandos, é dividido em Sentidos e Movimento, Comportamento. O terceiro bloco aborda o projeto de saúde mental “O sentir físico e psíquico em tempos de pandemia”, realizado com os mesmos alunos. Abaixo de cada título é possível ver um link para o vídeo do tema, caso tenha sido produzido.

Um dos capítulos, por exemplo, aborda a atividade cerebral ao violão e explica como a habilidade de tocar um instrumento musical se apresenta como uma opção muito interessante e requer uma série de ações do nosso cérebro que funcionem de forma integrada. Segundo o autor, “essas ações são tão diversas que há algumas que podemos descrever facilmente quando estamos tocando, mas outras ocorrem de forma automática e se não focarmos na sua realização podem passar despercebidas”.

O autor também produziu um vídeo mostrando que, para conseguir integrar o movimento de ambas as mãos, há uma ativação das redes envolvidas com a memória para que a harmonia da música possa ser recordada e possa caminhar em conjunto com os eventos motores. O vídeo está disponível neste link.

Outro texto fala sobre os sistemas sensoriais e como eles desempenham um papel importante na interação do homem com o meio ao seu redor. Com isso, o excesso de notícias ruins, sobre a covid-19, as crises no sistema de saúde, as crises políticas, a violência, os crimes raciais e outras tantas informações faz com que ao escutarmos uma simples música de abertura relacionada ao jornalismo da televisão, uma infinidade de pensamentos e sentimentos negativos automaticamente invadam nossa mente e permaneçam em nosso subconsciente. O vídeo está disponível clicando aqui.

A obra está incluída na Oficina Cândido Portinari: A Ciência e Arte do Cotidiano, que integra as atividades do grupo de estudos Rede Ciência, Artes, Educação e Sociedade – CienArtes, coordenada por Garcia-Cairasco desde 2012 no Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto da USP e está disponível de forma gratuita neste link.

Mais informações pelo e-mail ngcairas@usp.br, com o professor Garcia-Cairasco.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.