Diretoria da Medicina de Ribeirão Preto apresenta metas da nova gestão

Dirigentes criarão Centro de Captação de Recursos, que atuará junto à sociedade civil e outros financiadores de projetos, e investirá em internacionalização e desenvolvimento docente

Por - Editorias: Universidade
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Os professores Margaret de Castro e Rui Alberto Ferriani assumiram, no último dia do mês de maio, a diretoria e a vice-diretoria, respectivamente, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

A novidade na gestão dos novos dirigentes é a criação do Centro de Captação de Recursos, que atuará junto à sociedade civil e outros financiadores de projetos. A busca desses recursos será fundamental para colocar em prática as metas estabelecidas pela dupla, que planeja dar continuidade ao projeto de construção do novo prédio para os departamentos do ciclo básico, interrompido pela crise econômica que também afetou a Universidade.

Entre os desafios dos professores para os próximos quatro anos também está a estruturação dos cursos oferecidos pela Unidade a fim de formar profissionais capacitados para enfrentar os desafios dos próximos 20 anos.

A Unidade deve contar com um Plano de Desenvolvimento Docente Permanente e, ainda, ampliar e fortalecer o Centro de Avaliação de Ensino de Graduação (CAEG). A ampliação da internacionalização da graduação está na pauta, assim como o incentivo ao desenvolvimento de projetos em cooperação com instituições internacionais, e a promoção da pesquisa “translacional” genuína.

Ainda, segundo os dirigentes, os mestrados profissionais em área clínica serão estimulados, e a pós-graduação na sua função de formação do professor- educador deverá ser recuperada.

Já na área de cultura e extensão, criar ambiente propício para a difusão do conhecimento, incentivando as ações na área, além de investir em capacitação do corpo técnico-administrativo também estão entre as metas.

As unidades de apoio científico, como o biotério do prédio central, centro de medicina genômica e a nova unidade de pesquisa translacional em convênio com a Fiocruz, também vão receber atenção especial.

Dirigentes

A professora Margaret de Castro é a primeira mulher a dirigir a FMRP desde a sua criação, há 64 anos. Titular do Departamento de Clínica Médica, a professora fez graduação em Medicina na Universidade Federal do Triângulo Mineiro, e mestrado e doutorado na USP. O pós-doutoramento foi no National Institutes of Health (NIH), em Bethesda, nos Estados Unidos. Tem experiência na área de Endocrinologia, com ênfase em resistência aos glicocorticóides, rastreamento de mutações em doenças endócrinas e patogênese de tumores endócrinos. Orientou mais de 30 alunos de pós-graduação e é autora de mais de 150 artigos científicos indexados.

Já o professor Rui Alberto Ferriani é titular do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia. Cursou a graduação, o mestrado e o doutorado na FMRP. O pós-doutoramento foi feito na University of Cambridge, Inglaterra. Atualmente é presidente da Sociedade Brasileira de Endometriose e editor associado da revista Reproductive Science. Tem experiência na área de Reprodução Humana. Orientou mais de 50 alunos de pós-graduação e é autor de mais de 200 artigos científicos indexados.

Rosemeire Soares Talamone / Serviço de Comunicação Social da PUSP-RP
Com informações da direção da FMRP

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados