“Dez áreas de atuação profissional não se limitam às ocupações tradicionais”

Para Tania Casado, o profissional que conseguir abrir a mente para outras alternativas, além da tradicional, pode encontrar oportunidades diversificadas em nichos diferentes do mercado de trabalho

Em um mundo em que as profissões estão se conectando cada vez mais entre as diversas áreas de atuação existentes, tentar delimitar quais são as grandes áreas de atuação profissional é o primeiro passo para se entender como o mercado funciona de fato.

Com esse intuito, o Escritório de Carreiras (ECar) da USP realizou uma pesquisa, em 2019. De acordo com Tania Casado, professora da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) e diretora do ECar da USP, as grandes áreas citadas nesta pesquisa foram: saúde, transformação digital, segurança, educação, entretenimento, inovação, infraestrutura, energias, socioambiental e ética. “Essas dez grandes áreas podem ser acessadas por profissões as mais variadas. Elas também podem se conversar, por exemplo: a saúde não é apenas a doença, a saúde também tem a ver com a preservação do bem-estar físico e mental”, explica Tania. Nesse sentido, ela comenta que as dez grandes áreas analisadas acabam se expandindo e se conectando, como carreiras relacionadas à saúde e segurança, entre outras.

A necessidade do momento tem bastante influência com relação aos empregos disponíveis. As profissões verdes, aquelas relacionadas às questões ambientais e sustentabilidade, por exemplo, ficam cada vez mais em evidência e já ocupam grande parte do número de empregos disponíveis. Uma formação que pode aproveitar dessa urgência é a de geógrafo, pois ela acaba sendo importante em aspectos ambientais e de clima. Mas, em um primeiro momento, se um vestibulando falasse para a família sobre seu desejo de ser geógrafo, os pais provavelmente pensariam que ele vai seguir carreira como professor de Geografia, o que, de fato, pode acontecer, mas não sendo uma verdade absoluta com relação ao total de probabilidades para alguém dessa área.

Em entrevista ao Jornal da USP no Ar, Tania comenta que há a necessidade das pessoas abrirem a mente para outras alternativas, de refletirem para além daquilo que tradicionalmente é dito. Ao expandir o seu entendimento, a sua reflexão sobre aquilo que seria uma aplicação da sua formação, a pessoa pode achar o seu nicho diferenciado, encontrar algo para ela fazer e que seja importante para a sociedade, trazendo satisfação de forma geral.

As ocupações tradicionais ganham novos formatos, com especializações, e quem souber aproveitar isso vai encontrar uma diversidade de oportunidades, já que cada vez mais empresas demandam funções utilizando esse conceito.

Para mais informações relacionadas ao desenvolvimento de carreiras, o Ecar da USP disponibiliza dicas e palestras em seu canal no YouTube, que pode ser acessado através deste link.

Saiba mais ouvindo a entrevista completa no player acima.


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar é uma parceria da Rádio USP com a Escola Politécnica, a Faculdade de Medicina e o Instituto de Estudos Avançados. Busca aprofundar temas da atualidade de maior repercussão, além de apresentar pesquisas, grupos de estudos e especialistas da Universidade de São Paulo.
No ar de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.