Arte sobre foto / Freepik e Wikipedia

Cultura Wiki ajuda no acesso à produção das universidades

Iniciativas na USP promovem atividades para ampliar participação em plataformas Wiki; testes de abertura de dados sobre a produção intelectual docente estão previstas para este semestre

 19/08/2021 - Publicado há 4 meses  Atualizado: 23/08/2021 as 10:46

Hérika Dias

No Brasil, desde 2016, mais de 200 atividades universitárias foram realizadas em projetos dentro das plataformas Wiki. A USP, junto com a Universidade Federal de Santa Catarina, Faculdade Cásper Líbero e a Universidade Estadual de Santa Cruz, destaca-se nessa produção. É um esforço da comunidade universitária em ampliar o acesso a tudo que se faz no mundo acadêmico.

“Para dar uma dimensão, principalmente dessas quatro universidades, vieram 4.679 editores da wiki desde 2016, que adicionaram 120 milhões de palavras dentro dos projetos Wikimedia e essas palavras têm, desde 2019, 85,2 milhões de visualizações. E é nesse contexto que surgem, por exemplo, conteúdos sobre ecologia, matemática, arquitetura, enfim, cinema, que hoje estão dentro da Wikipedia”, explica João Alexandre Peschanski, coordenador do Wiki Movimento Brasil, afiliado à Fundação Wikimedia. 

Ele é pesquisador associado do Centro de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) Neuromat, sediado na USP, e professor de Jornalismo na Faculdade Cásper Líbero. No mês de julho, João Alexandre participou de um evento virtual da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, falando sobre as possibilidades de ação da comunidade acadêmica no desenvolvimento do conteúdo disponível nos projetos da Fundação Wikimedia.

Junto com a bibliotecária da FAU Amarilis Corrêa, eles deram exemplos de como estudantes e docentes podem contribuir e aproveitar as atividades ligadas ao universo Wiki. Amarilis integra o Glam Bibliotecas da USP, uma iniciativa de bibliotecários da FAU, Instituto de Matemática e Estatística (IME) e Escola de Comunicações e Artes (ECA) para colaborar com o movimento Wiki na Universidade. 

Página do Glam de Bibliotecas da USP e oficinas de formação de bibliotecários wikipedistas - Foto: Reprodução/Wikipedia

Glam é a sigla em inglês para galerias, bibliotecas, arquivos e museus e que identifica o conjunto de projetos digitais colaborativos e livres sob a guarda da Fundação Wikimedia. O grupo da USP pretende utilizar o conteúdo dos acervos dessas unidades da USP para estruturar e melhorar a qualidade das informações educacionais e bibliográficas disponíveis das plataformas Wikimedia, principalmente nos projetos em português na Wikipédia, Wikimedia Commons e Wikidata.

“A partir do segundo semestre, vai começar o planejamento para fazer os primeiros testes de abertura de dados sobre a produção intelectual docente dessas três unidades que estão envolvidas no momento”, conta a bibliotecária da FAU. O IME e a ECA já cadastraram o perfil de todos os seus docentes ativos. A FAU já tem essas informações preparadas para fazer a inserção na base

Quem também já está com seu conteúdo em projetos wikis são três museus da USP. Museu Paulista, Museu de Anatomia Veterinária, Museu de Arqueologia e Etnologia digitalizaram parte de seus acervos e os disponibilizaram em licença livre através do Wikimedia Commons. 

A experiência do Museu Paulista

O principal projeto da USP na plataforma Wiki é o do Museu Paulista, edifício quase bicentenário que está fechado desde 2013 para obras de restauro e modernização, com previsão de reabertura em 2022. Os professores do Museu Paulista Solange Ferraz e Paulo Garcez Marins, contaram, durante evento virtual da FAU realizado em julho, como foi a experiência de levar o conteúdo do museu para as plataformas Wiki.

Solange era a diretora do museu e coordenou o projeto em 2017. Ela lembra que o local sempre foi muito visitado e procurado por estudiosos, por isso eles buscavam formas de disponibilizar o acervo. Foi quando surgiu a opção da wiki, levada ao conselho do museu.

“Eu não esperava o resultado disso. Sempre tivemos um acesso considerável, muitos pesquisadores nos procuravam. Mas quando você coloca um acervo numa dimensão da wiki, isso pula para a casa dos milhões de visualizações. Quando a gente fala de democratizações dos acervos, nós estamos de fato democratizando esse acesso”.

Solange Ferraz, que coordenou o projeto do Museu Paulista na plataforma Wiki - Foto: Marcos Santos / USP Imagens

Foto: Reprodução/Wikipedia

O Glam Museu Paulista conta com mais de 33 mil conteúdos em imagens e vídeos do acervo, como as célebres pinturas Independência ou Morte, de Pedro Américo, e Fundação de São Vicente, de Benedito Calixto de Jesus. E já ultrapassam os 60 milhões de visualizações.

“Quando os acervos se tornam livres, eles se tornam efetivamente muito mais plásticos, muito mais funcionais nas apropriações, e isso é importante a gente lembrar que existe uma geografia de visibilidade de coleções e acervos. Essa decisão do museu foi importante para a própria Universidade de São Paulo”, destaca Paulo Garcez.

Eventos realizados pela FAU sobre a cultura Wiki nas universidades

Mas o que é cultura Wiki?

Segundo a própria definição na internet, uma wiki é “uma página web que geralmente permite sua alteração por qualquer pessoa que tenha um navegador de internet e possa acessar a página wiki. Uma página wiki utiliza um código fácil de editar que permite que se utilize textos, links e imagens sem a necessidade de aprendizado de códigos de programação como HTML.”

O nome Wiki foi dado por Ward Cunningham – criador da primeira página wiki – que se baseou no termo havaiano wiki-wiki (rápido). Uma página wiki contém diversos recursos úteis para auxiliar na edição, como a tecnologia CVS – Concurrent Version System que permite que todas as versões da página fiquem gravadas no seu histórico, fazendo com que qualquer modificação seja facilmente revertida.

Os exemplos mais famosos de wikis são os projetos da Wikimedia Foundation: Wikipédia, Wikisource, Wikiversidade, Wikilivros, Wikinotícias, Wikiquote, Wikicionário, Commons, Wikispecies.

“A cultura wiki está baseada nessa colaboração baseada em conhecimento, mas há outros aspectos importantes: esse conhecimento deve ser livre, não deve estar fechado dentro de “amarras jurídicas” que impedem esse conhecimento de atender aos públicos que querem ter acesso a ele”.

A Wikipédia é confiável?

Segundo o coordenador do Wiki Movimento Brasil, a Wikipédia, como qualquer projeto ou espaço de conhecimento, deve ser sempre questionada. Ele acredita que apesar de ser colaborativo, o conteúdo é de boa qualidade

“Você questionar se a Wikipédia é ou não confiável, é você se questionar se as referências que justificam a informação dentro de um artigo são confiáveis. Então a Wikipédia não tem ou não deveria ter conhecimento inédito. Tudo o que está na Wikipédia deveria ter como lastro uma referência confiável”.

E essa referência confiável deveria vir sobretudo das universidades. A bibliotecária da FAU lembra que em 2019, a biblioteca do IME ofereceu uma oficina de qualificação dos verbetes da Wikipédia, um treinamento para bibliotecários incluírem referências nos verbetes que hoje existem. Para Amarilis, a comunidade acadêmica pode contribuir com o trabalho de aprimoramento de conteúdo ou criação de novos verbetes.

“Como estudante, pesquisador, terminei um artigo ou meu trabalho de semestre. Eu já fiz toda a pesquisa, tenho referências confiáveis, que foram validadas, passou para uma banca. Eu só precisaria escrever aquilo de uma forma mais acessível para a Wikipédia, e ela ser uma porta aberta”.

João Alexandre Peschanski, coordenador do Wiki Movimento Brasil, e Amarilis Corrêa, integrante do Glam Bibliotecas da USP - Foto: Reprodução / Youtube

João Alexandre lembra que conectar a cultura wiki ao modo como funciona a carreira acadêmica no Brasil é um grande desafio, já que a questão do pesquisador de comunicar seus estudos é algo recente em relação a outros países, principalmente nos Estados Unidos. 

“Existem iniciativas de extensão universitária vinculada ao Wiki no Brasil que entram dentro de uma expectativa de que as universidades devam ter professores orientando conjuntos de atividades de comunicação científica”. Ele destaca ainda a inovação no ambiente wiki, que são tecnologias construídas de maneira colaborativa com pesquisadores de todo o mundo para as interfaces técnicas das ferramentas utilizadas nos wikis.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.