Congregação do Instituto de Ciências Biomédicas divulga moção sobre o uso da cloroquina

Documento lembra que a agilidade na busca de alternativas terapêuticas, no momento da pandemia, não deve justificar o abandono do rigor científico e da ética. Leia na íntegra

“O Instituto de Ciências Biomédicas (ICB) da Universidade de São Paulo vem a público manifestar-se em relação ao reposicionamento de fármacos, inclusive a cloroquina e hidroxicloroquina, para o tratamento de pacientes de covid-19.

O processo de validação de medicamentos aprovados para o tratamento de uma nova doença, como a covid-19, é pautado em estudos que seguem protocolos científicos bem definidos e preceitos éticos que visam garantir a eficácia, a segurança e o direito à informação dos pacientes. Diante da emergência sanitária da covid-19, a agilidade na busca de alternativas terapêuticas é fundamental, mas não deve justificar o abandono do rigor científico e da ética perante questões relacionadas à saúde humana. Evidências científicas indicam que, até o presente momento, não existem tratamentos baseados na cloroquina ou hidroxicloroquina, nem com outros compostos associados a elas, que tragam benefício comprovado para o tratamento da covid-19. Além disto, as ocorrências de efeitos adversos sérios, em uma parcela significativa dos pacientes tratados com esses medicamentos, sugerem risco aumentado para pessoas que os utilizem, seja de forma terapêutica ou profilática.

O ICB reafirma o seu compromisso com a ciência e a ética em todas as suas ações e entende que a cloroquina ou hidroxicloroquina não representam alternativas, sejam terapêuticas ou profiláticas, para a covid-19, com base nos trabalhos científicos publicados até o momento. Atualmente a instituição desenvolve diversos estudos que visam ampliar o conhecimento sobre o vírus e as suas interações com o ser humano, incluindo pesquisas que levem ao desenvolvimento de novas estratégias de diagnóstico e possíveis tratamentos e vacinas. O ICB espera, desta forma, poder contribuir para o enfrentamento da pandemia por meio do conhecimento científico aliado aos valores éticos e ao compromisso com a sociedade brasileira.”

Moção aprovada pela Congregação do ICB em sua 414ª reunião ordinária, de 27 de maio de 2020.

A Congregação é o órgão consultivo e deliberativo superior de cada Unidade da USP. Além do diretor e do vice-diretor, integram a Congregação: os presidentes da Comissão de Graduação, Pós-Graduação, Pesquisa, Cultura e extensão; os chefes dos Departamentos; e representantes de corpo docente, discente e de servidores não-docentes. Veja a íntegra do Estatuto e do Regimento da USP aqui; e a composição da Congregação aqui.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.