Morre José Marques de Melo, um dos maiores pensadores da comunicação no Brasil

Ex-diretor da Escola de Comunicações e Artes da USP foi o primeiro doutor em jornalismo titulado por uma universidade brasileira

  • 838
  •  
  •  
  •  
  •  
José Marques de Melo integrou o corpo docente fundador da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP – Foto: Lincon Zarbietti

Morreu na tarde desta quarta-feira, dia 20 de junho, aos 75 anos, José Marques de Melo, um dos principais pesquisadores na área de comunicação no Brasil. Melo é Professor Emérito da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP, da qual foi diretor, além de integrar o corpo docente fundador da unidade.

O sepultamento será realizado dia 21 junho, às 11 horas, no Cemitério do Morumbi, em São Paulo (Rua Deputado Laércio Corte, 468, Morumbi).

Nascido em Palmeira dos Índios, em Alagoas, no dia 15 de junho de 1943, obteve os títulos de bacharel em Jornalismo (Universidade Católica de Pernambuco, 1964), bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais (Universidade Federal de Pernambuco, 1965) e pós-graduação em Ciências da Informação Coletiva (Centro Internacional de Estudos Superiores de Comunicação para a América Latina, Equador, 1966) no período anterior à sua ida a São Paulo.

Iniciou a carreira acadêmica em 1966 como assistente do professor Luiz Beltrão, no Instituto de Ciências da Informação da Universidade Católica de Pernambuco (Recife), transferindo-se logo em seguida para a capital paulista. Nessa ocasião, foi convidado por Octávio da Costa Eduardo para trabalhar como diretor de pesquisas do Instituto de Estudos Sociais e Econômicos (Inese), onde começou a ganhar reputação como pesquisador comunicacional.

Fundou, em 1967, o Centro de Pesquisas da Comunicação Social, mantido pela Faculdade de Jornalismo Cásper Líbero, então vinculada à Pontifícia Universidade Católica (PUC) de São Paulo. Neste mesmo ano, foi contratado na USP, integrando o corpo docente fundador da então Escola de Comunicações Culturais, hoje Escola de Comunicações e Artes.

Em 1973, defendeu o doutorado em Ciências da Comunicação na ECA e se tornou o primeiro doutor em jornalismo no Brasil. Depois, recebeu bolsa de pós-doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) para realizar estudos avançados de comunicação nos Estados Unidos. Na ECA também obteve o título de livre-docente e foi professor titular.

Foi o responsável pela implantação do Departamento de Jornalismo e Editoração da ECA, que chefiou por vários anos, atividade somente interrompida nos anos de 1974 a 1979, durante o regime militar, quando esteve impedido de exercer a docência em universidades públicas brasileiras. Anistiado em 1979, reassumiu sua cátedra na USP, exercendo-a em regime de dedicação exclusiva ao ensino e à pesquisa.

Durante a gestão do reitor José Goldemberg, em 1989, foi escolhido para exercer o cargo de diretor da ECA, mandato cumprido até 1993, quando decidiu se aposentar voluntariamente da instituição.

Em 1994, a convite do então reitor da Unicamp, Carlos Vogt, ajudou a fundar o Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo. Ainda dirigiu a Faculdade de Ciências da Comunicação da Umesp – Universidade Metodista de São Paulo, no triênio 1997/2000, quando realizou ampla reforma pedagógica, sintonizada com as novas diretrizes curriculares do Ministério da Educação.

Trabalhou em jornais como Gazeta de Alagoas, Jornal de Alagoas, Jornal do Commercio, Última Hora, A Gazeta, O São Paulo, O Estado de S. Paulo, Folha de S. Paulo, Correio Braziliense e Zero Hora.

Melo é um dos grandes nomes da pesquisa do jornalismo na América Latina. Foram 173 livros publicados, organizados ou editados por ele, como Teoria do Jornalismo: Identidades Brasileiras, Mídia e Cultura Popular – História, taxionomia e metodologia da Folkcomunicação, Televisão Brasileira, Os Caminhos Cruzados da Comunicação e Gêneros Jornalísticos no Brasil. Muitos deles se tornaram clássicos e referências obrigatórias no estudo da comunicação no País.

Em 2014, o projeto Memórias da ECA entrevistou o professor, que contou como foi a implantação da Escola de Comunicações e Artes USP e sua trajetória profissional. Em 2015, a Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom), entidade que idealizou e da qual foi um dos fundadores, produziu um especial sobre a vida de José Marques de Melo.

Com informações do Portal Intercom e da Universidade Metodista de São Paulo

 

A direção da Escola de Comunicações e Artes publicou uma nota de falecimento:

É com pesar que a Diretoria da Escola de Comunicações e Artes da USP informa o falecimento na tarde de hoje, dia 20 de junho, do Professor Emérito José Marques de Melo. Até o fechamento desta nota não houve confirmação, por parte da família, de informações sobre seu velório e sepultamento.

José Marques de Melo foi o primeiro doutor em jornalismo titulado por uma universidade brasileira e participou ativamente de momentos marcantes da história da ECA: integrou o corpo docente fundador da Escola de Comunicações Culturais, foi criador e primeiro Chefe do Departamento de Jornalismo e Editoração (CJE) e Diretor. Durante sua rica trajetória intelectual, contribuiu com a formação de inúmeros pesquisadores e publicou dezenas de livros que se tornaram referências para as áreas de jornalismo e comunicação.

O professor José Marques de Melo será lembrado por todos com gratidão e carinho pela sua dedicação e contribuição fundamentais para a Escola de Comunicações e Artes da USP.

Diretoria da Escola de Comunicações e Artes

 

  • 838
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados