Catadores de eletroeletrônicos trocam experiências em evento

Encontro no dia 15 de março apresentou as ações do projeto Descarte Legal, desenvolvido pela USP com o Instituto GEA

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Catadores e participantes de ONGs fizeram parte do workshop no Laboratório de Sustentabilidade da USP – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Mais de 200 catadores já foram impactados pelo Descarte Legal, parceria do Laboratório de Sustentabilidade (Lassu) da USP com o Instituto GEA – Ética e Meio Ambiente, que capacita esses trabalhadores para coletar, processar e dar o tratamento adequado ao lixo eletrônico. Nesta quinta-feira, 15 de março, alguns deles se reuniram na Universidade para trocar experiências e conhecer melhor os resultados do projeto.

Este foi o o primeiro Encontro de Cooperativas de Reciclagem de Resíduos Eletroeletrônicos do Projeto Descarte Legal – Lixo Eletrônico. O evento foi realizado no Lassu, na Cidade Universitária, em São Paulo.

Em vigor há três anos, a proposta do Descarte Legal é incluir as cooperativas de catadores na cadeia da logística reversa de resíduos eletroeletrônicos, criando oportunidades e solucionando o problema de prefeituras e empresas.

Em parceria com o Centro de Descarte e Reúso de Resíduos de Informática (Cedir) da USP, as cooperativas são orientadas sobre o tratamento correto do resíduo eletroeletrônico. Há ainda o acompanhamento da implantação das técnicas nas cooperativas parceiras, desde a retirada de doações até a comercialização para empresas certificadas. Além de evitar o descarte incorreto de substâncias tóxicas que compõem esses aparelhos, o projeto mostra aos participantes que esses materiais podem ser reaproveitados e até vendidos, resultando em um lucro maior para os catadores.

Professora Tereza Carvalho é a responsável pela coordenação do Lassu – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

Além da apresentação dos resultados do projeto e do compartilhamento de experiências, os presentes assistiram a uma palestra sobre educação financeira e a sustentabilidade econômica das cooperativas de catadores. Cerca de 50 pessoas participaram do evento, entre catadores e membros de ONGs.

De acordo com Tereza Cristina Melo de Brito Carvalho, engenheira formada pela USP e coordenadora geral do Lassu, o workshop rendeu trocas valiosas de conhecimento.

Ligado ao Departamento de Engenharia de Computação e Sistemas Digitais (PCS) da Escola Politécnica (Poli) da USP, o Lassu foi criado em 2010 com a missão de estudar, pesquisar, inovar, disseminar conhecimento e formar pessoas em soluções para questões de sustentabilidade com o apoio de tecnologia de informação e comunicação.

Com informações do Instituto GEA

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados