Banco de leite humano beneficiará prematuros nascidos no Hospital das Clínicas

O objetivo é atender recém-nascidos que não toleram bem a fórmula láctea

Futuro banco de leite humano poderá atender os cerca de 150 prematuros de baixo e muito baixo peso atendidos mensalmente no Centro Neonatal do Instituto da Criança do HC- Foto: Divulgação/HC FMUSP

.
“A sobrevida dos prematuros nascidos no Hospital das Clínicas (HC) da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) e a qualidade de vida que eles terão na idade adulta dependem muito do aleitamento materno e por isso estamos investindo esforços para viabilizar nosso próprio banco de leite humano”, afirma o professor Werther Brunow de Carvalho, titular da área de Terapia Intensiva Pediátrica e Neonatologia do hospital e coordenador das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) pediátricas e neonatais da instituição.

Um grupo vem trabalhando para a concretização desse sonho de longa data e já comemora a doação de US$ 90 mil em equipamentos, oriundos da Fundação Rotary. O banco de leite humano do Centro Neonatal do Instituto da Criança contará com a coordenação de Valdenise Martins Laurindo Tuma Calil, médica do centro, e a supervisão de Analisa Gabriela Zuchi Leite, nutricionista supervisora no mesmo local.

O grupo inclui ainda, além do professor Werther, a diretora do Centro de Terapia Intensiva Neonatal, Maria Augusta Cicaroni Gibelli, a diretora-executiva do instituto, Mariana Nutti de Cordon, a nutricionista supervisora de Divisão Hospitalar do Serviço de Nutrição do HC, Ana Paula Alves da Silva, e a enfermeira chefe do Centro Neonatal, Carla Regina Tragante.

“A população-alvo são os cerca de 150 recém-nascidos ao mês e suas mamães, em especial os prematuros de baixo e muito baixo peso, que não toleram bem a fórmula láctea. São incontestáveis os benefícios do leite humano. No caso de prematuros, trata-se de uma solução fundamental em todos os sentidos, seja para reduzir a prevalência de infecções e aumentar a sobrevida, reduzir o tempo de progressão da dieta ou melhorar a qualidade de vida em geral”, afirma a coordenadora do banco de leite.

.

Ordenha de leite materno no Hospital das Clínicas- Foto: Divulgação/HC FMUSP

 

O banco de leite humano funcionará no décimo andar do Instituto Central do HC e atualmente já atende ao binômio mãe-bebê do Centro Neonatal da instituição. Ainda não é possível a doação do leite humano para outros recém-nascidos que não o da própria mãe, uma vez que os equipamentos necessários para a pasteurização e armazenamento do mesmo ainda não foram instalados no local.

“Inicialmente, o serviço atenderá apenas às mães e bebês do hospital, pois ainda não estruturamos uma logística para aceitar doações externas”, afirma a nutricionista Analisa Gabriela.

A região onde está o HC não conta com nenhum serviço de banco de leite humano, daí a importância do projeto, avalia a coordenadora Valdenise. “As atividades de ensino teórico e prático sobre leite humano em graduação e pós-graduação também serão beneficiadas. Os principais resultados esperados são a redução da morbimortalidade neonatal, a redução das taxas de infecção e de permanência hospitalar, a redução de gastos com fórmulas lácteas, a melhora do desenvolvimento neuro-cognitivo e o aumento da qualidade de vida do recém-nascido”, afirma a médica. 

.

Assessoria de Comunicação da FMUSP

.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.