Aula de enfermagem usa sistema para treinar cuidado ao paciente

Sistema Beira Leito dá mais segurança a profissionais e pacientes na administração dos medicamentos

Por - Editorias: Universidade
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Professora Simone de Godoy Costa explica o funcionamento do sistema Beira Leito – Foto: Divulgação/EERP

.
Um notebook instalado em um carrinho é levado à beira do leito do paciente que possui uma pulseira de identificação com código de barras. A equipe de enfermagem, então, faz a leitura, por meio de um leitor de código de barras, sobre os medicamentos que deverão ser administrados. O sistema emite um alerta caso identifique que a medicação está incorreta ou fora de validade. Assim funciona o sistema Beira Leito, adotado desde o começo de maio pelo Centro de Simulação de Práticas da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP.

Inicialmente, o sistema será utilizado pelos alunos na disciplina de Cuidado Integral em Saúde III. Eles aprenderão como integrar as informações do prontuário eletrônico do paciente, nos processos de prescrição, dispensação, preparo e administração dos medicamentos.

A prática aumenta a segurança das ações profissionais dos enfermeiros para a verificação dos chamados “9 certos da administração dos medicamentos”: paciente certo, medicamento certo, dose certa, via certa, horário certo, apresentação certa, ação certa, registro certo e efeito certo.

A administração eletrônica de medicamentos à beira leito já é adotada no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (HCFMRP) da USP desde 2013, quando se tornou a primeira instituição pública do Estado de São Paulo a implantar o projeto.

Além de medicamentos, o Beira Leito do HC é utilizado para controlar a entrada, dispensação, distribuição e administração de hemoterápicos, nutrição parenteral, dieta enteral e coleta de exames laboratoriais.

A professora da EERP Simone de Godoy Costa explica que “o sistema valida em tempo real o preparo e administração dos medicamentos junto ao paciente, por meio de sua pulseira de identificação. Os alunos vão poder observar como é possível integrar melhor as informações que passarão pelo prontuário eletrônico do paciente, nos processos de prescrição, dispensação, preparo e administração dos medicamentos.”

Com informações de Stella Arengheri e do Hospital das Clínicas da FMRP

Mais informações: e-mail sig@eerp.usp.br

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados