Alunos da USP resgatam memórias da periferia de São Paulo em novo podcast

“Memórias Quebradas: um podcast à margem sul da história”, produzido por estudantes periféricos do curso de Letras, tem primeira temporada disponível e aborda temas ligados ao Jardim Ângela, Capão Redondo, Jardim São Luís e Campo Limpo

 26/10/2021 - Publicado há 1 mês  Atualizado: 04/11/2021 as 9:06
Por
O podcast Memórias Quebradas foi criado pelos estudantes Lucas Leonel e Saulo Vilanova – Arte sobre foto: arquivo pessoal e Wikipédia

.
Qual a importância da memória? E da memória nos territórios populares e periféricos? Um podcast criado por estudantes da USP que moram na periferia da Zona Sul de São Paulo quer responder a essas perguntas e trazer discussões e histórias do Jardim Ângela, Capão Redondo, Jardim São Luís e Campo Limpo. 

Criado por Lucas Leonel e Saulo Vilanova, estudantes do curso de Letras da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) que moram na Vila da Paz (Distrito da Cidade Dutra) e no Morro do Índio (Distrito do Jardim Ângela), o programa Memórias Quebradas: um podcast à margem sul da história é uma iniciativa do Centro de Memórias das Lutas Populares Ana Dias, uma articulação de ativistas, moradores da região e pesquisadores, da qual os dois estudantes fazem parte. O programa fala sobre lutas populares, história e características do território, movimentos culturais na região, direitos e movimentos sociais.  

“Acreditamos que o podcast vai gerar a compreensão para os jovens dos seus espaços na disputa pela construção da memória dentro do território em que vivem e reproduzem, compartilhando com as pessoas próximas o desejo de tomar protagonismo do que somos e do que podemos fazer com essa informação”, destaca o estudante Lucas Leonel. 

Saulo Vilanova ressalta: “O Memórias Quebradas é um artifício de comunicação para mudar diversas concepções pejorativas que se criam sobre as periferias (reproduzidas, infelizmente, até pelos seus próprios moradores) através da provocação e troca de ideias sobre a memória coletiva desses territórios marginalizados”. 

Já está no ar a primeira temporada de dez episódios do podcast, que é financiado pelo Programa Unificado de Bolsas da Universidade de São Paulo (PUB/USP). A produção conta, além dos dois estudantes que apresentam o Memórias Quebradas, com o apoio da pesquisadora Angélica Gonçalves Garcia e do professor Luis Galeão Silva, do Núcleo de Estudos das Diversidades, Intolerâncias e Conflitos da USP, o Diversitas. A consultoria técnica é de Gisele Alexandre, jornalista e criadora do podcast Manda Notícias, que cobre a Zona Sul de São Paulo.

Na segunda temporada do Memórias Quebradas, que será lançada em 2022, Vitória Viana, também estudante de Letras e moradora do Capão Redondo, fará parte da apresentação do podcast. 

Confira os episódios:

.

.

.

.

.

Com informações de Angélica Gonçalves Garcia

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.