Alunos da USP arrecadam dinheiro para levar carros de corrida aos EUA

Equipes dos campi de São Carlos e São Paulo vão representar o Brasil em competição mundial de bajas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
Carro baja da Equipe Poli que será levado para o mundial em Rochester, Estados Unidos – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

.
Eles são veículos off-road, levam apenas um piloto, e projetado por universitários para as mais adversas condições de terreno, especialmente na terra. Os bajas são a oportunidade dos estudantes aplicarem na prática os conhecimentos teóricos. Existem competições nacionais e internacionais para avaliar os melhores projetos. Duas equipes da USP e uma da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), do Rio Grande do Norte, vão representar o Brasil nos Estados Unidos, entre 6 e 9 de junho.

Mas para levarem os seus carros, a EESC USP de Baja e a Poli de Baja  precisam de apoio e lançaram campanhas de financiamentos coletivos. Os custos vão desde o envio dos carros até a compra das passagens aéreas dos membros das equipes e suas hospedagens em Rochester, onde será a Fórmula SAE Internacional.

Carro da Equipe EESC USP de Baja SAE, campeã nacional em competição realizada em São José dos Campos – Foto: Reprodução / Equipe EESC USP Baja SAE via Facebook

Uma parte dos gastos será custeada pela Pró-Reitoria de Graduação (PRG) da USP que enviará os veículos das duas equipes para os Estados Unidos.

A primeira colocação na Baja SAE Brasil 2019 pertence à Escola de Engenharia de São Carlos (EESC) da USP. A posição garantiu a vaga para o mundial, mas não o montante necessário para financiar a viagem do grupo.

Na página da campanha de arrecadação, há mais informações sobre o projeto e como os fundos serão usados. A doação é rápida e fácil, sendo possível contribuir com quantias a partir de R$ 5. Vale destacar que, contribuições a partir de R$20, recebem recompensas personalizadas da equipe. Saiba como ajudar clicando aqui.

O grupo da Escola Politécnica (Poli) da USP, em São Paulo, também está buscando contribuições. “A campanha está bem complicada”, resume o capitão Leonardo Palamim, chamado pelos demais membros da equipe de Pipoco.

Eles criaram uma página para doações que pode ser conferida neste link ou comprar rifa no valor de R$ 10 de uma bicicleta motorizada  Track TKX Power 49cc. Para adquirir, basta enviar uma mensagem para a página deles no Facebook clicando aqui. Há ainda a possibilidade de ajudá-los continuamente aderindo ao programa Amigos do Baja, com planos mensais que vão de R$ 6,90 a R$ 50.

Completando 18 anos de existência, a Equipe Poli de Baja já foi para o mundial seis vezes. Porém, a última vez foi há cinco anos, em 2014. A participação nessas competições é a validação de que a prática dos projetos estudados em sala de aula podem ajudar e muito os estudantes de engenharia. Sendo também um parâmetro de análise do que a equipe faz no seu carro baja.

A competição é importante, porque ela é a consolidação do nosso trabalho. É nela que você vai verificar se o trabalho foi bem sucedido ou não”, revela Pedro Di Pietro, integrante da Equipe Poli.

 

Convite para visita

Parte da Equipe Poli de Baja, vice-campeã brasileira 2019 de Baja SAE – Foto: Cecília Bastos / USP Imagens

A equipe da Poli ficou em segundo lugar no Baja SAE Brasil 2019, garantindo a vaga para a competição mundial. “Nossa comemoração de segundo foi maior que a do primeiro, vamos assim dizer. A gente pulou muito, rasgamos o banner da comemoração. Muitos membros choraram e se emocionaram.”

E a alegria não foi em vão, eles esperavam por essa classificação há muito tempo para serem mais conhecidos, visto que sua primeira participação em uma competição foi em 2002. O capitão, Leonardo Palamim, faz um convite. Venham conhecer a gente. Estamos muito abertos para todos. Faço o convite para que possam nos assistir nos dias da competição, com transmissão ao vivo pelo YouTube. Vamos disponibilizar mais informações em nossa página no Facebook.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •