Aluna da USP vence desafio de programação para reduzir impactos da pandemia

O robô esterilizador proposto por estudante do curso de Biotecnologia da EACH alcançou o primeiro lugar no Hackathon Serpro

Editorias: Universidade - URL Curta: jornal.usp.br/?p=336398
Foto: Divulgação Serpro


.
Um robô capaz de esterilizar ambientes, prevenindo a contaminação de covid-19, com até 99,9% de efetividade. Esta foi a ideia apresentada por uma estudante do curso de Biotecnologia da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, vencedora do HackSerpro, maratona on-line de programação que aconteceu entre os dias 15 e 22 de junho. 

No desafio proposto pela Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados) os participantes deveriam apresentar soluções em tecnologia capazes de auxiliar na redução dos impactos provocados pela pandemia e na adaptação das transformações por ela impostas à sociedade. Além disso, as propostas deveriam ajudar problemas relacionados aos eixos social (saúde, meio ambiente, mobilidade, entretenimento, cultura) e econômico (mercado de trabalho, indústria, comércio e serviços e novos negócios)

Nina Machado, estudante de Biotecnologia da EACH USP – Foto: Arquivo Pessoal

Dessa maneira, nasceu a ideia do robô Hígia. Um dispositivo que desinfeta ambientes utilizando Luz Ultravioleta C (UV-C) e internet das coisas. Nina Machado, estudante do curso de Biotecnologia, foi líder da equipe que apresentou o projeto vencedor e conta quais foram os obstáculos enfrentados para construir o protótipo. “Os maiores desafios para criá-lo foram conseguir as peças que precisávamos em meio pandemia no pequeno tempo que nós tínhamos. Além de manter o engajamento, mesmo durante os vários empecilhos que surgiram na execução do projeto”.

Segundo Nina, outras experiências da equipe auxiliaram no desenvolvimento do robô. Por meio de iniciação científica realizada em laboratórios, por exemplo, ela atuou com manipulação da Luz UV-C. A tecnologia também era conhecida pelos outros integrantes do grupo, Leone Souza e Bruno Augusto.

O time alcançou o primeiro lugar na competição nacional, entregando a solução mais inovadora, funcional, com melhor design e usabilidade, tal como exigia a premiação. “Tivemos uma grande oportunidade de desenvolver o que queríamos, com isso aprendemos muito. Quando entregamos a solução, ficamos muito emocionados, pois estávamos muito focados em desenvolvê-la”, ressalta Nina.

Após o evento, as expectativas estão voltadas para a construção do protótipo em um dispositivo concreto. Segundo Nina, a equipe está em busca de pesquisadores e laboratórios de universidades para receber suporte na realização de testes com Luz UV-C, além de possíveis parcerias, especialmente com hospitais e farmácias.  

Para entrar em contato com o grupo, envie um e-mail para ninapinheiro@usp.br 

Sobre o HackSerpro 2020

O HackSerpro distribuiu um total de R$ 22.500 em prêmios, teve 40 times inscritos, cinco jurados e 35 mentores. A maratona também contou com apoio da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, que participou com cinco mentores, um palestrante e um representante para a banca julgadora.

A Serpro é uma empresa pública de tecnologia brasileira, atuante desde 1964. Sua função é implementar tecnologias que possam ser utilizadas por serviços públicos como, órgãos federais, estaduais e municipais. Mais informações: site do Serpro.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.