Pinacoteca expõe as inquietações contemporâneas

Exposição “Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” – que reúne um dos mais importantes acervos de arte contemporânea da Europa – fica em cartaz até 26 de setembro

Por - Editorias: TV USP, Cultura
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

.

Pinacoteca recebe a Exposição Fora da ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear - Foto: Cecília Bastos/USP Imagens
Pinacoteca recebe a exposição “Fora da ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

.
O pensamento e o sentimento do mundo através da arte podem ser observados na exposição “Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear”. Em 137 trabalhos de artistas de todos os continentes, o espectador é envolvido pelas informações, tensões e questões da sociedade globalizada atual. Na mostra, obras de Wassily Kandinsky, Marcel Duchamp e Josef Albers encontram-se lado a lado com as concepções dos brasileiros Jac Leirner, Iran do Espírito Santo e José Damasceno.

Nesta reportagem especial sobre a exposição, o Jornal da USP reúne textos, fotos e vídeo para mostrar a coleção de Helga de Alvear, uma galerista alemã de 80 anos radicada na Espanha. Para realizar a mostra, os curadores Ivo Mesquita e José Ribeiro trabalharam durante três anos, inclusive fazendo visitas ao acervo na Europa. Para o diretor da Pinacoteca, Tadeu Chiarelli – professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP –, “Fora da Ordem” é uma mostra que o público precisa ver e rever várias vezes.
.

 

Tadeu Chiarelli, diretor da Pinacoteca. Foto: Cecília Bastos/USP Imagens
Tadeu Chiarelli, diretor da Pinacoteca. Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

‘Fora da Ordem’ não traz certezas, não aponta caminhos. Apenas mostra as inquietações da sociedade, propiciando questionamentos e reflexões, como compete a uma boa exposição de arte contemporânea.”

.


..

Mostra situa o espectador no mundo globalizado

Na exposição “Fora da Ordem”, o visitante encontra 137 trabalhos do acervo da Coleção Helga de Alvear, que reúne obras de artistas da Europa, América, Ásia e África. Os brasileiros Iran do Espírito Santo, José Damasceno e Jac Leirner estão presentes

Exposição Fora da ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear - Foto: Cecília Bastos/USP Imagens
Exposição Fora da ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

O nome da exposição já orienta o visitante a se perder e a se achar pela Pinacoteca, no centro de São Paulo. “Fora da Ordem – Obras da Coleção Helga de Alvear” apresenta 137 trabalhos, entre instalações, vídeos, fotos, gravuras e pinturas, que estão pelas paredes, no chão ou espalhadas pelo espaço entre salas às vezes caóticas e outras especialmente minimalistas. Uma desordem, na verdade, aparente e intrigante. As obras estabelecem um diálogo e uma reflexão entre si. Propiciam ao espectador a sensação de estar pelo mundo globalizado com seus apelos, informações, pressões. E, o mais importante, trazem indagações e questionamentos próprios da boa arte contemporânea.

As obras são do acervo de Helga de Alvear, uma colecionadora e galerista alemã de 80 anos radicada em Madri, na Espanha. Com 3 mil itens, é considerado um dos mais importantes de arte contemporânea da Europa. “Fora da Ordem” é resultado de três anos de pesquisa dos curadores Ivo Mesquita e José Augusto Ribeiro, do Núcleo de Pesquisa em História e Crítica de Arte da Pinacoteca. Leia mais

.

A arte é para todos

Público variado elogia a Coleção Helga de Alvear e destaca o espaço da Pinacoteca

Chiara Maya - Foto: Cecília Bastos/USP Imagens
Chiara Maya – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

“Caminhar pelo prédio projetado por Ramos de Azevedo e observar a intervenção de Paulo Mendes da Rocha é muito gratificante para quem prioriza a arquitetura e a arte na metrópole”, observa a arquiteta Rafaela Pontes Ferreira, 25 anos, em visita à exposição “Fora da Ordem”, no dia 29 de junho. “A Pinacoteca é um espaço onde a arte é para todos. Tem muitas crianças, jovens e pessoas idosas também.”

Marília Pontes Ferreira, 26 anos, veterinária e estudante de Biologia, foi à exposição com a irmã Rafaela para visitar a Pinacoteca pela primeira vez. “Nós moramos em Guaratinguetá e garanto que virei mais vezes. Embora eu estude algo completamente diverso, o mundo atual exige que você saiba sobre todas as áreas e a arte tem muito a ver.”

Enquanto observa a instalação com espelhos do português José Pedro Croft, a “futura pintora” – como ela mesma se define – Chiara Maya Mezashi, de 7 anos, já vai traçando o seu caminho. Leia mais

 

 .

 .

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados