Grupos se organizaram para combater opressão aos LGBTs na ditadura

Contestando ideias de direita e de esquerda, Grupo Somos surge com a proposta de defender o direito ao prazer e ao amor

  • 68
  •  
  •  
  •  
  •  

Embora o regime militar fosse contrário às manifestações de homossexuais na imprensa e na política, a maioria dos grupos de esquerda também não aceitava a luta dessas minorias, influenciados pela ideologia comunista que considerava a homossexualidade um “vício da burguesia”. Contestando essas ideias de direita e de esquerda surge o Somos: Grupo de Afirmação Homossexual, com a proposta de iniciar um movimento em defesa dos direitos ao prazer e ao amor.

Para falar sobre o assunto convidamos Renan Quinalha, doutorado pela USP com a tese Contra a moral e os bons costumes: a política sexual da ditadura brasileira (1964-1988); João Silvério Trevisan e Marisa Fernandes, ex-membros do grupo Somos (1978-1983). Assista à mais um vídeo da série LGBTs na Ditadura:

 

Série mostra luta pioneira de LGBTs contra a repressão na ditadura

Na ditadura, mídias alternativas quebraram tabus sobre LGBTs

Ser mulher e homossexual causava dupla discriminação entre LGBTs

  • 68
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados