Violeiros goiano e mineiro trazem a MPB na viola caipira

Enquanto Arthur Noronha cresceu ao som de clássicos da música popular brasileira, Wilson Dias se inspirou no estilo para criar suas composições

O Revoredo desta semana apresenta o trabalho de dois violeiros. Viola Cancioneira, do cantor e compositor Arthur Noronha, e Nativo, do instrumentista natural de Olhos D’água, no norte de Minas Gerais, Wilson Dias.  

Noronha é cantor, compositor e instrumentista natural de Goiânia. Entrou na música relativamente cedo, cantando e tocando já aos 13 anos, cresceu sob influência da música de violeiros como Almir Sater, Renato Teixeira e Tião Carreiro, e de clássicos da MPB como Raul Seixas e Zé Ramalho. Já Dias, inspirado na música popular brasileira, traz em suas obras lembranças da infância vivida no interior de Minas. 

No programa há as obras de Noronha: Saci, Banquete dos Sapos, Voz do Sertão, Bandoleta e Um toque pra Raul; e de Dias: Alumia, Rala Coco, Encantos de Minas e Alma de Rio

O Revoredo é produzido e apresentado pelo maestro José Gustavo Julião de Camargo, do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, com trabalhos técnicos de Luiz Antônio Fontana.

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.