Viola caipira, violino, viola de arco e contrabaixo fogem do padrão solista e acompanhamento

Instrumentos criam um rico diálogo que mescla elementos das raízes musicais brasileiras à concepção singular de Ivan Vilela

O programa Revoredo desta semana traz interpretações musicais de Ivan Vilela, violeiro, compositor, pesquisador e professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP. Vilela teve contato com a viola caipira depois de um pedido da cantora Niza Tank para compor uma ópera caipira.

O compositor é o caçula de uma família de 11 filhos e teve contato com o violão quando tinha 11 anos de idade; seu primeiro professor foi Amaury Vilela, em 1973. Sua carreira iniciou-se aos 18 anos, quando integrou o Grupo Pedra e depois o Grupo Água Doce, que faziam pesquisas das raízes da música mineira. Com 26 anos, começou a cursar composição musical na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), onde concluiu o bacharelado em Artes, Composição Musical em 1994, e o mestrado em Composição Musical em 1999. Obteve o doutorado em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo, com a tese Uma história social da música caipira em 2011.

Em 1998, o compositor foi indicado para o Prêmio Sharp na categoria Revelação Instrumental pelo CD Paisagens. Em 2009, o instrumentista participou de apresentação solo com a Orquestra de Câmara Villa-Lobos. Entre as peças tocadas estão O sertão, paisagens, Armorial, de Ivan Vilela, e Prelúdio das bachianas nº 4, de Heitor Villa-Lobos; em 2002 foi agraciado com a Medalha Carlos Gomes, condecoração concedida pela Prefeitura Municipal de Campinas.

Além disso, Ivan Vilela também foi premiado no Prêmio da Música Brasileira, com o CD Mais Caipira, no Rio de Janeiro, em 2011, e no Prêmio Ibac de Cultura Brasileira, em 2009, de São Paulo. No programa tem as músicas: Sertão, Menino Saci e Acalanto, O Castelo dos Mouros, Fada Madrinha, Mistério, Trem um, Narrativas, Selvagem, Trem Dois e Mulher Caipira.

Ouça no player acima a íntegra do programa Revoredo desta semana.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.