Velocidade é a chave para performance de judocas

Treinos de velocidade de movimento em golpes marciais podem fazer a diferença entre amadores e atletas de elite do judô

 16/04/2021 - Publicado há 8 meses

Na coluna Ciência e Esporte desta semana, o professor Paulo Roberto Santiago fala sobre sobre o artigo Comparação cinemática da técnica de judô seoi-nage entre atletas de elite e universitários, publicado no jornal científico Sport Biomechanics.

O estudo compara a técnica de judô seoi-nage (arremesso de ombro) executada por judocas de elite e atletas universitários do sexo masculino. Os pesquisadores usaram um sistema de câmeras de captura de movimentos chamado Vicon-MX e, através das imagens registradas, observaram não haver diferença “no tempo da fase de movimento da fase de giro” entre os dois grupos de atletas.

No entanto, a velocidade do movimento de arremesso e a velocidade angular dos judocas de elite se mostraram significativamente superiores às dos judocas universitários. O professor Santiago diz que, quando o atleta move seu centro de massa (localizado no abdômen) para o ponto certo em alta velocidade, a força do golpe é maior.

Em sua avaliação, Santiago acredita que essas informações podem e devem ser utilizadas para aperfeiçoar o treinamento de alunos e atletas do judô. “Ensinar como realizar a mudança do centro de massa em alta velocidade e aplicar correções durante os treinos são essenciais para a melhor realização do seoi-nage.”

Os ouvintes podem participar da coluna Ciência e Esporte, sugerindo temas ou enviando questões para as próximas edições pelo e-mail ou através de comentários no canal da coluna no YouTube. A única restrição é que sejam temas relacionados à ciência e esporte.


Ciência e Esporte
A coluna Ciência e Esporte, com o professor Paulo Santiago, vai ao ar toda sexta-feira às 10h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.