Sustentabilidade vem ganhando espaço em setores da sociedade

Desde o evento da Rio 92, alguns segmentos sociais vêm aderindo ao desenvolvimento sustentável e tomando consciência do aquecimento global

Ao observar o comportamento dos diversos setores da sociedade em relação aos problemas decorrentes do aquecimento global, o professor José Eli da Veiga constata que “aos poucos, aqui e ali, a ficha caiu”. Antes do encontro no Rio de Janeiro, em 1992, os mais amplos segmentos da sociedade estavam distantes dessa preocupação e não tinham motivos para aderir à ideia do desenvolvimento sustentável. “Acredito que, em 1992, alguns setores eram até hostis. Alguns achavam que preservar a natureza era um luxo”, diz. O que era visto de forma diferente, segundo Eli da Veiga, eram as diversas poluições “que localmente criavam conflitos e levavam governos a agir”.

Mas, de acordo com o colunista, isso mudou! “É impressionante o número de associações e articulações de diversos segmentos que colocam a questão do aquecimento global como prioritária em suas agendas”, observa. Mesmo assim, um dos setores que mais demoraram para aderir a essa corrente de pensamento foi o financeiro. “Somente lá por 2015, às vésperas da Conferência de Paris, que alguns segmentos do setor privado começaram a falar nos ‘títulos verdes’. No entanto, ainda era uma coisa muito incipiente e distante da discussão científica”, lembra o professor. Mas, em 2017, no encontro One Planet, realizado na França, surgiram sinais razoáveis de que o setor financeiro estava, finalmente, embarcando no pensamento sustentável.

Ouça no player acima a íntegra da coluna Sustentáculos.


Sustentáculos
A coluna Sustentáculos, com o professor José Eli da Veiga, vai ao ar toda quinta-feira às 8h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.