Situação dos refugiados no mundo se agrava

Segundo o colunista Pedro Dallari, citando relatório da ONU, o número de refugiados no mundo dobrou em dez anos

“O número de refugiados no mundo dobrou em apenas dez anos.” É assim que começa a coluna de Pedro Dallari esta semana, com o professor tocando em um ponto seríssimo na questão dos direitos humanos no mundo globalizado, falando da manchete que a ONU deu ao divulgar o relatório anual do Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, o Acnur. “Todo dia 20 de junho se celebra o Dia Mundial dos Refugiados, justamente para se lembrar da difícil situação desse conjunto de seres humanos”, afirma o colunista. “São 80 milhões de refugiados e deslocados internos atualmente. Eram 40 milhões há dez anos. Só entre 2018 e 2019, este número se elevou em dez milhões”, informa o colunista.

“Desses 80 milhões, 46 milhões se deslocam em seu próprio país, fugindo de situações de guerra civil, como é o caso dos sírios”, esclarece Dallari. “Este número de 80 milhões é muito expressivo, pois significa que um em cada 100 habitantes do planeta é refugiado e não tem condições de ficar em sua casa. Um outro dado importante é que a taxa de retorno está diminuindo: há dez anos, 1,5 milhão de refugiados voltavam para suas casas. Hoje, são cerca de 380 mil retornando. Ou seja, a situação de refúgio vai se tornando permanente”, afirma o colunista. “E alguns dados são importantes. Por exemplo, acreditar-se que os países mais desenvolvidos é que recebem os refugiados. Na verdade, os países que mais receberam refugiados são a Turquia, a Colômbia, Paquistão e Uganda. Só depois aparece a Alemanha.”

Leia aqui o relatório do Acnur.

Ouça no player acima a íntegra da coluna Globalização e Cidadania.


Globalização e Cidadania
A coluna Globalização e Cidadania, com o professor Pedro Dallari, vai ao ar toda quarta-feiraa às 8h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.