Sistema eleitoral norte-americano é complicado e pouco democrático

Renato Janine Ribeiro fala do sistema eleitoral que elege os presidentes norte-americanos e por que considera esse sistema pouco democrático

Na coluna Ética e Política desta semana, Renato Janine Ribeiro fala do sistema eleitoral que elege o presidente dos Estados Unidos. O colunista brinca ao dizer que o sistema, adotado na Constituição de 1787, é tão complicado que seria preciso fazer um curso para entender.

O sistema atual é fruto de um “meio-termo”: nem a eleição indireta nem o sufrágio universal, como ocorre no Brasil. O que acabou prevalecendo foi uma solução mista, com o presidente sendo eleito por um colégio eleitoral que tem tantos membros quanto deputados e senadores, segundo cada Estado.

Para o colunista, não é um sistema muito garantido democraticamente. Pois um número maior de votos não garante a vitória, como aconteceu com Al Gore e George W. Bush, em 2000, e Hillary Clinton e Donald Trump, em 2016, em que tanto Al Gore como Hillary tiveram mais votos populares, mas perderam as eleições. Outro ponto complicado é que cada Estado tem leis eleitorais e apura os votos cada um a seu modo.

Ouça, no link acima, a íntegra da coluna Ética e Política.


Ética e Política
A coluna Ética e Política, com o professor Renato Janine Ribeiro, vai ao ar toda quarta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.