Reabertura do comércio pode agravar pandemia no centro de São Paulo

De acordo com o mapa epidemiológico da Prefeitura de São Paulo, dos dez distritos com a maior taxa de mortalidade pela covid-19, para 100 mil habitantes, oito são bairros centrais, alerta o professor Nabil Bonduki

Na edição de Cotidiano na Metrópole desta semana, o arquiteto e urbanista Nabil Bonduki, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, comenta os números de letalidade do novo coronavírus em diferentes bairros da cidade de São Paulo.

Em maio, de acordo com o mapa epidemiológico da Prefeitura, dos dez distritos paulistanos com a maior taxa de mortalidade pela doença, para 100 mil habitantes, oito são bairros centrais. No Pari, já foram registradas 19 mortes por covid-19 até o dia 20 de maio, “são 117 mortos para cada 100 mil habitantes”, comenta Bonduki. “São bairros que têm uma alta concentração de cortiços e população em situação de rua, e por isso teremos uma alta quantidade de mortos em números relativos”, explica o professor.

Na opinião do especialista, a proposta de reabertura do comércio na cidade de São Paulo é precipitada. “Eu vejo com muita preocupação porque é exatamente nesses bairros centrais que temos uma grande concentração de comércios.” Para ele, é preciso que existam protocolos específicos para a população desses distritos.

“A Prefeitura, antes de reabrir o comércio, deveria fazer uma varredura de testes nos cortiços da região central, para que possam ser identificadas as pessoas contaminadas”, em seguida, é necessário isolá-las em condições adequadas, sugere Bonduki.

Ouça na íntegra no áudio acima.


Cotidiano na Metrópole
A coluna Cotidiano na Metrópole, com o professor Nabil Bonduki, vai ao ar toda quinta-feira às 10h00, na Rádio  USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e  TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.