Qualidade da água e do solo sofre impacto das atividades humanas

As ações humanas prejudicam não só a fauna e a flora, mas também a qualidade de vida dos próprios seres humanos

  • 24
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Ambiente É o Meio desta semana traz entrevista com a pesquisadora Luciana Maria Saran. Graduada e pós-graduada em Química pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), atualmente é professora no Departamento de Tecnologia da Universidade Estadual Paulista (Unesp), campus de Jaboticabal.

Segundo Luciana, o tratamento de esgoto é uma medida de saúde básica e pública, mas a própria população está prejudica esse sistema e dificulta o trabalho que já é precário no Brasil. Luciana diz que o último relatório da Agência Nacional de Águas (ANA) traz um panorama sobre a água no Brasil e mostra que cerca de 50% do esgoto não é tratado. “27% da população não têm acesso nem à coleta, nem ao tratamento de esgoto, outros 18% têm acesso apenas à coleta. O resultado dessa equação é que 45% da população nacional não possui acesso ao tratamento de esgoto”.

No Brasil, diz a pesquisadora, a contaminação do solo vem junto com a das águas, já que ocorre por meio dos agentes químicos, lixos e resíduos industriais jogados em locais impróprios. “A maioria desses danos é causada pela ação do homem.”

Ambiente É o Meio é uma produção da Rádio USP Ribeirão Preto em parceria com professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e Programa USP Recicla da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP.

  • 24
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados