Programa mostra Bach como auge de uma família de músicos

Compositor é o ponto culminante de uma longa tradição musical cultivada nas igrejas e cortes alemãs

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em sua edição de 25 e 26 de agosto de 2018, o programa Manhã com Bach – transmitido pela Rádio USP (93,7 MHz) – mostrou que o compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750) é o ponto culminante de uma longa tradição de música para igrejas e para cortes.

Nascido na cidade de Eisenach, no leste da Alemanha, ele pertencia a uma família que havia mais de 100 anos fornecia talentosos músicos para as igrejas e cortes espalhadas pelo território do que hoje é chamado de Alemanha.

Tradicionalmente luterana, essa família deu uma grande contribuição para a formação da música sacra na Alemanha, que tinha sido muito incentivada pelo principal líder da Reforma Religiosa deflagrada em 1517, o monge agostiniano alemão Martin Lutero. Para Lutero, a música era tão importante quanto a teologia e deveria ser usada nas igrejas para o ensino e a edificação dos cristãos. Um século depois de Lutero, em todas as regiões atingidas pela Reforma, nota-se uma profusão de corais nas igrejas, antes inexistentes, que impulsionaram a música coral e constituíram um movimento que representou uma verdadeira revolução artística.

Ao mesmo tempo em que contribuíam para promover essa revolução na música sacra, os membros da família Bach se dedicavam também à música instrumental nas várias cortes espalhadas pela Alemanha, fornecendo entretenimento para os nobres alemães, muitos dos quais tinham o costume de manter orquestras em suas cortes.

Bach representa o auge dessa família dedicada à música de igreja e à música de corte, a síntese dessa longa tradição de fazer música coral e música instrumental. Em sua vasta obra, despontam cantatas maravilhosas e peças para orquestra, órgão, cravo, violino, flauta, violoncelo, alaúde e outros instrumentos, igualmente maravilhosas.

No programa Manhã com Bach levado ao ar nos dias 25 e 26 de agosto de 2018, foram apresentadas três obras que demonstram essa excelência: a Fantasia e Fuga em Dó Menor (BWV 537), para órgão, composta na corte de Weimar por volta de 1708, a Sonata em Sol Maior (BWV 1039), para flautas e baixo contínuo, datada de 1720 e criada na corte de Köthen, e a cantata Herr, deine Augen sehen nach dem Glauben, “Senhor, teus olhos olham para a fé” (BWV 102), apresentada pela primeira vez em 1726, em Leipzig.

Ouça nos links acima a íntegra do programa.

Manhã com Bach vai ao ar sempre aos sábados, às 9 horas, com reapresentação no domingo, também às 9 horas, inclusive via internet, pela Rádio USP.

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados