No “Ambiente É o Meio”: O mundo das abelhas

No programa, o professor Carlos Alberto Garófalo fala sobre o ciclo de vida de algumas espécies de abelhas

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Ambiente É o Meio desta semana traz entrevista com o professor Carlos Alberto Garófalo, do Departamento de Biologia da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, que fala sobre espécies de abelhas e as ameaças que elas enfrentam de extinção.

Garófalo diz que a primeira abelha que ele pesquisou é conhecida como “Mamangava de chão” do gênero Bombus, espécie mais agressiva que a Apis (grupo comum de abelhas). “A operária da Apis tem apenas uma oportunidade de ferroar, seu ferrão é cheio de farpas, fica no local onde ela pica e morre após a ferroada. Já a Bombus possui ferrão liso, então quando ferroa não o perde e sobrevive mesmo dando várias ferroadas.”

O professor diz que não existe mais na região ninhos naturais dessas espécies. Está havendo uma extinção das espécies de abelhas e dos pesquisadores da área. Na década de 70, existiam apenas três grupos de “Abelhudos”, pesquisadores dedicados a pesquisas com as abelhas, em Ribeirão Preto, São Paulo e Rio Claro.

Ambiente É o Meio é uma produção da Rádio USP Ribeirão Preto em parceria com professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e Programa USP Recicla da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP.

  • 6
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados