Malha ferroviária brasileira chegou a transportar 100 milhões de passageiros

Atualmente o Brasil privilegia o transporte rodoviário, mas urbanista alerta que mudança de hábito é que vai resolver a questão da mobilidade urbana

  • 82
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Ambiente É o Meio desta semana traz entrevista com o professor Roberto Andrés, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Arquiteto e urbanista, Andrés fala sobre meios de transportes e mobilidade urbana.

Foto: William Molina / via Flickr C/C

Andrés afirma que o Brasil passou por uma transição no seu modal de transportes, antes ferroviário e hidroviário, com um custo mais baixo e com menos impacto ambiental para as rodovias, dependente do petróleo e, portanto, com alto custo e impactos ambientais.

“No século 20 o Brasil desenvolveu uma malha ferroviária grande que chegou a transportar cerca de 100 milhões de passageiros intermunicipais por ano e hoje não transporta dois passageiros”, conta Andrés.

Ambiente É o Meio é uma produção da Rádio USP Ribeirão Preto em parceria com professores da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP e Programa USP Recicla da Superintendência de Gestão Ambiental (SGA) da USP.

  • 82
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados