Artesão vira violeiro autodidata de tanto afinar o instrumento

Gedeão Nogueira ganhou até o sobrenome Viola e diversos prêmios em festivais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O programa Revoredo desta semana homenageia o violeiro e compositor brasileiro Gedeão Nogueira, chamado de Gedeão da Viola. Nogueira nasceu em Limeira no dia 16 de abril de 1945 e faleceu aos 60 anos, na cidade de Barretos.

Antes de se tornar violeiro, dançou catira na região de Piracicaba, em seguida foi para a capital paulista trabalhar como artesão, no conserto e reforma de instrumentos de corda. Com o tempo se apaixonou pelos sons da viola caipira e tornou-se músico autodidata de tanto afinar as violas de Tião Carreiro e Zé do Rancho.

O programa traz as músicas como o cateretê “Pau Brasil”, a polca “Beleza matogrossense”, cateretê baião “Assanhadinho”, o chamamé “Sem Fronteira”, o cateretê sambado “ Descendo a Escada”, o cateretê batuque “Chega mais”, o pagode nordestino “Visita ao Nordeste”, a polca “Dois Irmãos”, a valsa “Sonho de criança”, o chamamé “Percorrendo o Brasil”, a toada “Solidão Sertaneja”, a polca “Serra ao Luar”, “Pout Pourri de Tião Carreiro”, a polca paraguaia “Toque Aranhado”, “Toada Improvisada”, “Brincando com as Cordas”, “Galopa” e “Guarânia para o alto belo”.

O Revoredo é produzido e apresentado pelo maestro José Gustavo Julião de Camargo, do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, com trabalhos técnicos de Luiz Antonio Fontana.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados