Queima de livros é assunto da próxima série de Marisa Midori

O tema será tratado pela colunista e traz eventos que se referem, mais especificamente, às fogueiras de livros

 

Segundo a professora Marisa Midori, a queima de livros é um assunto inesgotável e será abordado durante o mês de junho em sua coluna Bibliomania. “Primeiro, porque desperta muita curiosidade entre os amantes do livro, mas também porque a temática é vez ou outra evocada.” A professora deixa claro que se refere à história da destruição dos livros, mais especificamente às fogueiras de livros.

“Queimar livros não é simplesmente uma ofensa, tampouco um ato de censura ou só isto. Embora a censura possa se apresentar como um ato bem mais grave do que a ofensa a um indivíduo. Ela é uma ofensa e algo mais. Queimar livros é muito mais do que maldizer a leitura, embora este tipo de ofensa tenha ocorrido no Brasil não faz muito tempo. Queimar livros é um gesto inominável, é uma violência extrema. Queimar livros é uma dupla violência, ela é física e simbólica. Por esse motivo, as queimas de livros constituem capítulos marcantes e dolorosos na história da humanidade”, afirma a professora.

Marisa Midori relata que são muitos os capítulos, e talvez inumeráveis, que remontam desde a Antiguidade até a época contemporânea. A professora comenta que o historiador Lucien Polastron identificou pelo menos dez passagens em que os livros ou bibliotecas inteiras alimentaram as fogueiras da insanidade, da violência e da desumanidade, e que a estes casos somam-se ainda os incêndios acidentais, seguindo então para uma lista de alguns capítulos importantes do século 20.


Bibliomania
A coluna Bibliomania, com a professora Marisa Midori, vai ao ar toda sexta-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.