Publicidade em matérias pode colocar confiabilidade da imprensa em risco

Na coluna “Horizontes do Jornalismo”, o professor Carlos Eduardo Lins da Silva aponta os efeitos de não se diferenciar publicidade da reportagem

 Publicado: 13/09/2021

Durante o período da pandemia, uma publicação da revista norte-americana Newsweek colocou em discussão os princípios do bom jornalismo. Através de uma matéria patrocinada, a revista exibiu um produto que dizia prevenir e tratar a covid-19, doença causada pelo coronavírus. A premissa era falsa, uma vez que pesquisas já mostraram a ineficácia no uso de medicamentos como forma de prevenção à doença.

“Alguns veículos jornalísticos têm facilitado a possibilidade de um material patrocinado aparecer nesses veículos de maneira confusa para o consumidor”, analisa o jornalista e professor Carlos Eduardo Lins da Silva em sua coluna. A confusão muitas vezes aparece no momento de distinguir entre o que é material jornalístico produzido pelo veículo e o que é um anúncio.

“É preciso deixar claro que não é jornalismo. Se há uma coisa de que o jornalismo não precisa é ter sua confiança ainda mais abalada por um consumidor”, expõe Lins da Silva. Uma confusão na forma de receber o conteúdo pode ser fatal na confiabilidade construída por determinado veículo.


Horizontes do Jornalismo
A coluna Horizontes do Jornalismo, com o professor Carlos Eduardo Lins da Silva, vai ao ar toda segunda-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.