Sopro cardíaco em crianças de três a oito anos pode ser inofensivo

Conhecido como sopro inocente, o fenômeno é bastante comum na infância

O programa Saúde com Ciência e Jazz desta semana recebe o professor Paulo Henrique Manso, do Departamento de Puericultura e Pediatria da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP para falar sobre sopro cardíaco em crianças.

O professor explica que o sopro cardíaco infantil só pode ser diagnosticado por um pediatra, por meio de exames cardiológicos, pois é bastante comum que existam enganos ao ouvir os sons do coração sem os equipamentos utilizados pelo médico. 

O sopro cardíaco em crianças não é necessariamente sinônimo de doença, diz o professor. “É bastante frequente que crianças de três a oito anos apresentem o sopro, mas não tenham qualquer problema cardiológico. O fenômeno é conhecido como sopro inocente.” 

Para ser considerada doença precisa haver problemas estruturais no coração da criança. Portanto, é primordial que o diagnóstico seja feito por um médico, com exames e investigação sobre o histórico familiar do paciente.

O programa Saúde com Ciência e Jazz é produzido por Flávia Coltri, com apresentação e coordenação do professor Pérsio Roxo Júnior e trabalhos técnicos de Mariovaldo Avelino e Luiz Fontana. Coordenação de Rosemeire Talamone. No ar todas às quartas, das 13h30 às 14 horas. Você pode sintonizar a Rádio USP em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br/home-ribeiraopreto ou pelo aplicativo no celular para Android e iOS.

Ouça no player acima a íntegra do programa Saúde com Ciência e Jazz.

 

Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.