Pilares da sustentabilidade é ideia crescente nos meios empresariais

Conceito lançado pelo consultor inglês John Elkington, que originou a sigla ESG, tem influenciado empresas na busca por uma rentabilidade sustentável

Talvez ainda desconhecida por muitos, a sigla ESG (Environmental, Social, and Governance) pode ser traduzida em português para ASG – Práticas Ambientais, Sociais e Governança. “É assim que as empresas estão se referindo à necessidade de uma busca por rentabilidade que inclua ao menos essas três variáveis”, explica o professor José Eli da Veiga. “Aliás, a sustentabilidade começou a ser falada na década de 1990, principalmente no período posterior à Rio 92”, diz.

O colunista lembra que um dos principais responsáveis pela sensibilização do conceito ESG nos meios empresariais, no final dos anos 1990, foi o consultor inglês John Elkington. Ele é o autor do livro Canibais com Garfo e Faca (1994), que trouxe a ideia dos três pilares da sustentabilidade: people, planet, profit (pessoa, planeta e lucro). “Assim foi lançada a expressão ‘tripé da sustentabilidade’, que recomendava que, além do lucro, as empresas tinham de olhar também para o lado social de seus empregados e parceiros”, destaca o colunista. Eli da Veiga lembra ainda que Elkington acaba de lançar o livro Os Cisnes Verdes: O Novo Boom do Capitalismo Regenerativo, que será tema para uma das próximas colunas.

Ouça no player acima a íntegra da coluna Sustentáculos.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.