Pessoas tendem a evitar consumir notícias em países com democracia ameaçada

Para o colunista, países em que há menos liberdade, governos são mais autoritários, liberdade de expressão é restrita e governos menos estáveis são lugares em que mais pessoas sentem a necessidade de evitar notícias

Na coluna Horizontes do Jornalismo desta semana, Eduardo Lins da Silva discute pesquisa realizada pelo Instituto Reuters que mapeia as razões pelas quais as pessoas tendem a evitar o consumo de notícias que são, principalmente, idade, ideologia e situação política do país do entrevistado.

Segundo Lins da Silva, o que chama a atenção na pesquisa, realizada com cerca de 67 mil pessoas de 35 países, é o fato de que pessoas jovens tendem a evitar consumir notícias intencionalmente, o que “é grave porque as pessoas jovens são, evidentemente, o futuro, e se elas, desde moças, tentam evitar as notícias é possível que o futuro não seja tão bom para a boa informação da sociedade em diversos países, pelo menos nesses que foram pesquisados”.

Com base na pesquisa, o professor informa que, além dos jovens, as mulheres sistematicamente evitam notícias mais frequentemente do que os homens: “O que me surpreendeu um pouco foi que a educação não tem uma relação consistente com o evitar notícias. Isso sugere que a resistência aos veículos de informação não responde positivamente a características sociais, ou seja, as pessoas mais bem-educadas e as pessoas mais afluentes, com melhor nível de renda não são, necessariamente, menos hostis às notícias dos veículos informativos do que as pessoas com menos nível de renda e menor escolaridade”.

Lins da Silva comenta que existe uma relação positiva entre ideologia e evitar notícia, porque as pessoas de direita, no espectro ideológico, tendem a evitar mais as notícias do que as pessoas de esquerda. “Outra característica importante, que não chega a ser surpreendente, é que quem mais consome as plataformas de mídias sociais para se informar são as pessoas que mais evitam as notícias dos veículos jornalísticos, sejam eles quais forem. Há um fator final que também deve ser levado em conta que é: os países em que há menos liberdade, em que os governos são mais autoritários, em que a liberdade de expressão seja mais restrita e os governos menos estáveis também são os lugares em que mais pessoas sentem a necessidade de evitar notícias.”

Ouça a coluna na íntegra pelo player acima.


Horizontes do Jornalismo
A coluna Horizontes do Jornalismo, com o professor Carlos Eduardo Lins da Silva, vai ao ar toda segunda-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.