Pesquisa da USP testa segurança e eficácia no tratamento de câncer cerebral com o zika vírus

Desenvolvido no Centro de Estudos sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) da USP, estudo procurou identificar qual seria a dosagem necessária para tratar tumores

 Publicado: 04/11/2021
Por

Na coluna de hoje (4), a professora Mayana Zatz fala sobre uma pesquisa, liderada pelo Centro de Estudos sobre o Genoma Humano e Células-Tronco (CEGH-CEL) da USP, que foi capa da revista Viruses. O trabalho, conduzido por Raiane Ferreira e Caroline Kaid, teve como objetivo avaliar a segurança do tratamento de tumores cerebrais com o zika vírus.

Um estudo anterior, realizado no próprio CEGH-CEL, mostrou pela primeira vez que o vírus zika destrói tumores cerebrais que afetam crianças, principalmente os de origem embrionária. O grupo também descobriu que o tratamento tem resultados semelhantes quando realizado em camundongos nude e em cães que desenvolvem cânceres espontâneos (semelhantes aos que acometem os seres humanos).

Dessa vez, Caroline e Raiane aplicaram, em camundongos, três injeções contendo o zika vírus em sua formulação, com intervalo de sete dias e em diferentes locais.

Os resultado são apresentados pela geneticista.


Decodificando o DNA
A coluna Decodificando o DNA, com a professora Mayana Zatz, vai ao ar quinzenalmente toda quarta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.