Paisagens informativas são uma ferramenta da educação

Luli Radfahrer explica o conceito de paisagem informativa, ilustrando seu comentário com exemplos e afirmando que o objetivo principal é direcionar o aprendizado

 03/09/2021 - Publicado há 2 meses

Você sabe o que são paisagens informativas? Parece novidade, mas o termo existe já há algum tempo, pelo menos desde o início dos anos 1990, “quando as pessoas se deram conta de que não fazia mais sentido os grandes volumes de dados em bibliotecas”, explica Luli Radfahrer em sua coluna Datacracia. Por isso, optou-se por uma organização de forma muito mais sensata, que “é a ideia de organizar tudo como uma grande paisagem, com ruas, casas, prédios e formas de caminhar no meio delas, com bicicletas, carros e ônibus”.

Para assimilar tal conceito, basta se livrar da ideia que se tem da biblioteca e pensar num tema razoavelmente específico, e aqui Radfahrer cita um exemplo para ilustrar sua ideia. De todo modo, a ideia principal da paisagem informativa, diz ele, é a educação, “porque daí você consegue direcionar o aprendizado”, e de forma muito mais interessante.


Datacracia
A coluna Datacracia, com o professor Luli Radfahrer, vai ao ar toda sexta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.