O rock brasileiro do início dos anos 70 foi marcado por dificuldades e variações de estilo

O fim do iê-iê-iê e o breve período do tropicalismo provocaram a marginalização do rock na década de 70

Na edição do programa História do Rock desta semana, o professor Mario De Vivo continua a série sobre os anos 70, do século passado, desta vez falando sobre as dificuldades do rock brasileiro, que até a metade daquela década era de difícil definição e teve de sobreviver fora do sucesso comercial. “O rock nacional estava bastante marginalizado naquele momento devido ao fim do iê-iê-iê e à curta vida do tropicalismo.” 

De Vivo inicia o programa com a música Hoje É o Primeiro Dia do Resto da Sua Vida, de Rita Lee, para ilustrar a tendência, de parte dos roqueiros brasileiros do período, a produzirem músicas mais experimentais e psicodélicas. Enquanto isso os rapazes das bandas Som Imaginário e Novos Baianos tocavam um som mais conservador e diversificado, como é possível perceber nas músicas Sábado e Ferro Na Boneca. 

Mais tarde, o grupo Casa das Máquinas foi uma das únicas bandas brasileiras da época a se arriscarem com o estilo hard rock, como pode ser ouvido na música A Natureza. Outro estilo feito pelos artistas do rock brasileiro no início dos anos 70 foi o rock rural; um dos exemplos desse tipo de rock nacional são as músicas Mestre Jonas e Pó da Estrada, de Sá, Rodrix e Guarabyra. 

Os ouvintes podem enviar sugestões e comentários para o e-mail: rocknausp@usp.br.

Ouça no player acima a íntegra do programa História do Rock.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.