O punk rock apresenta certo desprezo pelo rock clássico

O programa “História do Rock” desta semana traz a desvinculação da geração punk rock do rock clássico

 15/08/2021 - Publicado há 4 meses

Na edição desta semana do História do Rock, Mario De Vivo começa uma série de programas para falar sobre a história do punk rock, segundo o professor, um gênero musical diferente por apresentar um certo desprezo pelo rock clássico.

Ao comparar a música God Save the Queen, punk rock da banda Sex Pistols, e The Advent of Panurge, rock progressista do grupo Gentle Giant, De Vivo mostra  como a diferença entre os estilos pode transitar entre uma música dançante própria para bares e uma com mudanças rítmicas constantes apropriada para concertos.

Em meados de 1965 a banda The Who lançou a música Anyway, Anyhow, Anywhere, canção que apresenta uma execução mais simples e um ar juvenil, que se distingue do que a banda iria lançar dez anos depois. Em 1975 foi lançada a música How Many Friends, com arranjos bem elaborados e um refrão potente, apesar de lembrar um pouco o rock progressista, a música ainda era rock clássico.

Três anos depois a banda The Who teve um dos seus grandes sucessos musicais, My Generation, citado pela banda Generation X, criticando a antiga geração de rock clássico na canção Your Generation.

De Vivo encerra o episódio desta semana com a canção 1977, do grupo The Clash, que ressalta mais uma vez o desprezo que os punks tinham com os roqueiros clássicos.

Os ouvintes podem enviar sugestões e comentários para o e-mail: ouvinte@usp.br


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.