O jazz e a música erudita que saem do som da viola caipira

Produção independente de Neymar Dias traz composições como La valse, Chamamé da Lua e Barroca

O Revoredo desta semana apresenta as canções instrumentais do violeiro Neymar Dias. Inspirado por seu pai, compositor de viola caipira, Dias iniciou na música de forma autodidata tocando viola, violão, baixo, guitarra e bandolim. Posteriormente, formou-se em Composição e Regência pela Faculdade de Artes Alcântara Machado (FAAM) em São Paulo.  

Em sua obra Minhas canções instrumentais, produção independente de julho deste ano, o músico integra estilos que vão do jazz à música erudita. No programa desta semana são apresentadas as composições: La valse; Chamamé da Lua; Depois da serra; Agora é assim; Quem disse?; e Barroca. 

O Revoredo é produzido e apresentado pelo maestro José Gustavo Julião de Camargo, do Departamento de Música da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP) da USP, com trabalhos técnicos de Luiz Antônio Fontana.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.