“Não podemos ser flexíveis em relação ao uso obrigatório da máscara”

Para Bonduki, caso de desembargador flagrado rasgando multa por não estar usando máscara é emblemático ao sinalizar que parte da população ainda nega recomendações sanitárias na pandemia

Na edição de Cotidiano na Metrópole desta semana, o arquiteto e urbanista Nabil Bonduki, professor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP comenta o caso envolvendo o desembargador do Tribunal de Justiça de São Paulo Eduardo Almeida Prado Rocha de Siqueira, que foi flagrado humilhando um guarda civil, após ser multado por andar sem máscara em Santos, cidade do litoral sul paulista.

Para Bonduki, “os atos cometidos por esse desembargador são todos muito vergonhosos, tanto para o País quanto para o Judiciário, frente ao momento que estamos vivendo”. As multas têm sido aplicadas como medida emergencial na cidade, que contabiliza o maior número de casos, óbitos e internações por covid-19 na Baixada Santista. São 12.852 contaminados, 425 óbitos e 172 pessoas em tratamento, de acordo com o site da Prefeitura Municipal de Santos.

Mais do que discutir o ato do desembargador, Bonduki alerta que “existem muitas pessoas que estão negando as recomendações sanitárias e isto está criando o risco de uma maior aceleração da pandemia nas nossas cidades”. Para o urbanista, “não podemos ser flexíveis em relação ao uso obrigatório da máscara”.

Um dos maus exemplos que andam sendo seguidos por parte da população que dispensa máscaras vem, de acordo com Bonduki, do próprio presidente da República. “Ele, mesmo contaminado, vai em manifestações, tira a máscara e promove aglomerações”, aponta.

Ouça na íntegra no áudio acima.


Cotidiano na Metrópole
A coluna Cotidiano na Metrópole, com o professor Nabil Bonduki, vai ao ar toda quinta-feira às 10h00, na Rádio  USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e  TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.