Momento é de ação mais contundente do governo no campo econômico

Efeitos da crise de saúde na economia dependem da agilidade e sincronia de ações contra a disseminação do vírus

Na coluna Reflexão Econômica desta semana, o professor Luciano Nakabashi afirma que os efeitos da crise da covid-19 sobre a economia dependem em maior parte da ação sincronizada dos governos federal, estaduais e municipais. “Quanto mais rapidamente conseguirmos sincronizar as ações, sobretudo no isolamento social, conseguiremos controlar mais rapidamente a crise e os efeitos na economia serão menores”, garante.

Insiste que o presidente deve liderar essas ações e parar de lançar sinais contraditórios. Que ele deve conversar mais com governadores e prefeitos e poderes Legislativo e Judiciário. O momento, segundo Nakabashi, não é para preocupação com capacidade econômica no curto prazo, mas para uma “coalizão muito forte para mitigar os efeitos do coronavírus” com o isolamento social.

Os riscos de prolongamento da crise existem, mas, assegura, “dependem da coordenação do presidente”, que precisa perceber que os “efeitos ruins serão muito maiores se não controlarmos a disseminação do vírus agora”.

Para o professor, o governo federal tem que garantir às pessoas, sobretudo às mais pobres, suas necessidades básicas. E impedir, ao máximo, que as empresas venham a falir, garantindo às pequenas e médias condições para pagar seus funcionários e passar por esse momento de grande queda da receita. “Se as empresas forem à falência, quando a economia retomar, a gente vai ter menos capacidade produtiva”, lembra.

Nakabashi acrescenta ainda que o presidente pode sair enfraquecido pela maneira como vem conduzindo o problema. Esse fato, antecipa, deve dificultar as reformas fundamentais necessárias para que o País entre numa rota de crescimento mais sustentável.

 

Ouça na íntegra a coluna Reflexão Econômica no player acima.


Reflexão Econômica
A coluna Reflexão Econômica, com o professor Luciano Nakabashi, vai ao ar toda quarta-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.