Maradona, um ídolo que deixou a saúde em segundo plano

A partir do episódio ocorrido com Maradona, João Paulo Lotufo alerta para a dificuldade que os dependentes químicos apresentam em largar o vício das drogas e do álcool

A morte do jogador Diego Maradona nos leva a imagens inesquecíveis do atleta em campos de futebol no mundo inteiro, mas também as inúmeras vezes em que esteve nas páginas policiais por seu envolvimento com drogas e álcool. Um grande dependente químico, que assumiu a doença e lutou a vida inteira para se livrar do vício, mas que foi nocauteado ainda jovem. Já na última década não escondia mais sua situação.

Em recente cirurgia feita na cabeça, o atleta surpreendeu o mundo com a boa recuperação, mas não foi suficiente, e ele acabou perdendo a vida devido a uma parada cardiorrespiratória.

Em sua coluna desta semana, João Paulo Lotufo fala sobre alguns aspectos relacionados ao passado recente do craque do futebol argentino e mundial, citando algumas declarações de peso do jogador.

 


Dr. Bartô e os Doutores da Saúde
A coluna Dr. Bartô e os Doutores da Saúde, com o médico assistente do Hospital Universitário da USP João Paulo Lotufo, vai ao ar toda terça-feira às 09h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.