Língua portuguesa e sua importância no mundo globalizado

Este foi o tema da coluna de Pedro Dallari nesta semana, a partir da reabertura do Museu da Língua Portuguesa

 04/08/2021 - Publicado há 6 meses

O Museu da Língua Portuguesa acaba de ser reinaugurado, depois de um incêndio que obrigou seu fechamento por quase seis anos. Qual é a importância da reabertura do museu para a cultura e para o mundo globalizado? É justamente sobre isso que fala o professor Pedro Dallari em sua coluna desta semana. “O idioma é um fator de identidade cultural muito importante em uma sociedade. O português é falado por mais de 250 milhões de habitantes no mundo – no Brasil, em Portugal, na África e na Ásia. Se formos somar a língua espanhola, que é do mesmo tronco, serão mais de 800 milhões de falantes, mais de 10% da população mundial. É um número muito expressivo”, afirma Dallari. “Além de fomentar a identidade cultural, o uso do idioma acaba tendo repercussão social, econômica e política. Um resultado disso é a organização internacional conhecida como Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Essa organização, mesmo com seus altos e baixos em suas várias décadas de existência, foi muito importante para fomentar, por exemplo, a cooperação entre o Brasil e países da África”, relata o colunista.

Mas poderia haver alguma contradição entre a preservação do idioma português e a globalização? O professor não crê nisso. “Não vejo nenhuma contradição. Um dos fatores positivos que podemos encontrar no processo de globalização, talvez o mais relevante deles, é a universalização dos direitos humanos. Ou seja, dos direitos fundamentais de todos os habitantes do planeta. E no rol desses direitos humanos fundamentais, está a identidade cultural como um direito que é essencial aos indivíduos e a seus grupos sociais”, explica Dallari. “No mundo globalizado coexistirão dois movimentos no tocante ao uso dos idiomas. Por um lado, a busca de códigos comuns de comunicação que permitam uma integração mais fácil entre todos os indivíduos. E do ponto de vista idiomático, o inglês é a língua que atualmente exerce essa função. Mas, por outro lado, um movimento no sentido da preservação da identidade cultural será sempre muito relevante para fomentar a coesão social e a felicidade dos grupos sociais”, afirma o colunista. “As sociedades mais exitosas serão justamente aquelas que combinarem esses dois movimentos. De um lado, a busca de padrões que facilitem a integração entre os indivíduos. E, do outro lado, a defesa de elementos da identidade cultural que facilitem e favoreçam uma integração maior entre os indivíduos de uma mesma localidade. Nesse âmbito, há um lugar para a língua portuguesa no mundo globalizado. Por isso, é bem-vindo de volta o Museu da Língua Portuguesa”, concluiu ele.


Globalização e Cidadania
A coluna Globalização e Cidadania, com o professor Pedro Dallari, vai ao ar toda quarta-feiraa às 8h, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.