Investir e valorizar as pessoas são fundamentais para o desenvolvimento do País

Luciano Nakabashi comenta que, além de uma educação de qualidade, é preciso dar suporte às famílias para o desenvolvimento saudável das crianças

Vários pontos importantes para o desenvolvimento econômico e social do País precisam estar sempre presentes nos debates, entre eles o investimento na qualificação das pessoas, desde muito cedo, ainda na fase de formação pessoal e escolar das crianças. A importância e o impacto do investimento em pessoas é o tema da coluna Reflexão Econômica desta semana. Segundo o professor Luciano Nakabashi, quando pensamos no crescimento econômico e social sempre temos que pensar nas pessoas. “Como tudo é feito por pessoas, precisamos pensar no desenvolvimento delas em vários sentidos.” O desenvolvimento econômico, por exemplo, depende do aumento da produtividade e, para isso, é fundamental o acesso a uma educação de qualidade, fator que está na base do desenvolvimento econômico e social do País. “Mesmo com especialistas no assunto, ainda patinamos na adoção de políticas públicas para melhorar a qualidade educacional do Brasil, que não depende somente de mais recursos, mas também na melhor distribuição dos já destinados. E, ainda, o Brasil precisa ser mais meritocrático, pois peca na questão de igualdade de oportunidades.”

Para a igualdade de oportunidades, além da questão da educação de qualidade, que precisa ser acessível sobretudo para os menos favorecidos, o professor diz que é preciso também pensar no ambiente de negócios, reduzir a burocracia e estimular os empresários a serem cada vez mais eficientes. “O que falamos em economia é reduzir a diferença de retorno social e individual, para que as pessoas consigam capturar mais o retorno do seu próprio esforço.”

Nakabashi também alerta para a necessidade de políticas públicas que assegure o suporte necessário às famílias para melhorar o ambiente familiar, diminuindo os conflitos e aumentando os cuidados com as crianças, dando mais amor, carinho, pois mesmo divergindo de família para família, é necessário políticas públicas para diminuir a distinção na formação familiar e social das crianças. “A escola sozinha não vai conseguir equilibrar a questão de igualdades e oportunidades, pois boa parte da formação da criança, em vários sentidos, é dentro da família, principalmente até 5 ou 6 anos, a escola é um complemento.”

Por último, o professor cita como fator importante a necessidade de os mais favorecidos dar exemplo de valorização do outro. “Independente da função que o outro realiza é preciso valorizá-lo, pois ele está ajudando a sociedade, temos que valorizar o que é honesto e não o fato de ter mais ou menos”, finaliza.

Ouça no player acima a íntegra da coluna Reflexão Econômica, com o professor Luciano Nakabashi.


Reflexão Econômica
A coluna Reflexão Econômica, com o professor Luciano Nakabashi, vai ao ar toda quarta-feira às 9h00, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

 

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.