Imposto sobre livros é tentativa de minar acesso à educação no País

Para o colunista, a proposta trata-se de um esforço das autoridades públicas de afetar o andamento da ciência e educação

Na coluna Observatório da Inovação desta semana, Glauco Arbix discute o imposto sobre livros previsto na reforma tributária proposta pelo Ministério da Economia. Caso aprovada, o governo federal deverá arrecadar 12% sobre a receita bruta das editoras, o que deve encarecer o preço dos livros para o consumidor final. Para o colunista, a proposta trata-se de um esforço das autoridades públicas de afetar o andamento da ciência e educação no País.

A Lei 10.865, de 2004, garante a isenção da Cofins e do PIS/ Pasep sobre os livros. Atualmente, a isenção de impostos sobre o mercado de livros é garantida pela Constituição Federal (art. 150). Segundo Arbix, a proposta de Paulo Guedes atinge toda a produção literária no País e tende a encarecer o valor dos livros, tanto impressos quanto digitais. A situação é próxima do escândalo. “Todo tipo de livro terá imposto de 12%. Nem mesmo antes, quando o Brasil aboliu o imposto sobre o livro porque a população precisa ter condições de acesso à literatura, os impostos chegaram a 12%.”

Para o colunista, a proposta do imposto é uma tentativa de tirar dinheiro de quem já não tem. Implantar o imposto “é aumentar efetivamente o custo dos livros num país em que já se lê pouco. Vai tornar onerosa a situação da população. A situação não é boa. Nós fazemos um apelo para que as pessoas assinem os abaixo-assinados”.

Ouça a coluna na íntegra pelo player acima.


Observatório da Inovação
A coluna Observatório da Inovação, com o professor Glauco Arbix, vai ao ar toda segunda-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.