Gustavo Petro e a gestão assertiva de Bogotá

A criação de uma empresa pública de lixo, em Bogotá, projetou o atual presidente em seu país como uma grande liderança, com controle e redução de custos

 Publicado: 23/06/2022
Por

O presidente eleito da Colômbia, Gustavo Petro, foi vereador, senador por duas vezes e prefeito de Bogotá, capital do país, mas os jornais destacaram apenas a passagem dele como integrante da luta armada do M-19. Com 62 anos, Petro já disputou a Presidência da Colômbia por três vezes.

O que projetou o presidente, em 2012, como prefeito da maior cidade da Colômbia, foi o lixo. As empresas que faziam a coleta e destinação do lixo não tinham contratos. E Gustavo Petro resolveu criar uma empresa pública de lixo envolvendo recicladores. Com isso, foi feito um processo de transformar e criar a empresa existente.

O fato gerou um caos na cidade, principalmente porque aconteceu no final do ano e o lixo se acumulava pelas ruas. O desgaste foi tão grande que a Procuradoria Geral da República suspendeu o mandato do prefeito Gustavo Petro. O resultado é que a Corte Interamericana de Direitos Humanos determinou que ele deveria ser reintegrado ao cargo justamente porque não havia argumento no afastamento. Foi então que ele se projetou como uma grande liderança.


Cidade para Todos
A coluna Cidade para Todos, com a professora Raquel Rolnik, vai ao ar toda quinta-feira às 8h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.