Exposição excessiva nas redes sociais tem prejudicado atletas

O problema pode levar a transtornos mentais, entretanto, o baixo desempenho também é de responsabilidade dos atletas. O uso consciente das redes pode ser vantajoso, constata Hugo Tourinho Filho

 24/05/2024 - Publicado há 2 meses
Por

 

Influência das redes sociais muda panorama no esporte – Foto: Reprodução/Freepick
Logo da Rádio USP

Os atletas se encontram em uma encruzilhada digital, onde a conexão com as redes midiáticas é constante, porém, nem sempre benéfica. Esse contato incessante muitas vezes os expõe excessivamente, gerando uma falta de privacidade e, com isso, passam a receber elogios, mas também as críticas. Em muitas situações, essas críticas são “fora do tom”, o que pode afetar profundamente a saúde mental dos atletas. Recentemente, o jogador de futebol Luiz Gustavo, do São Paulo, revelou não ter redes sociais depois da Copa do Mundo de 2014, devido às fortes críticas e ameaças sofridas após a competição. O jogador relatou que encontrou a paz depois de tomar tal decisão. 

Hugo Tourinho Filho – Foto: Cecília Bastos/USP Imagens

Outro exemplo é o do jogador francês Karim Benzema, que após as fortes ameaças dos torcedores do Al-Ittihad, da Arábia Saudita, seu novo clube, por conta do rendimento abaixo do esperado, excluiu todas as suas contas para se blindar das críticas. “Nas mídias sociais, as redes sociais hoje trazem um feedback imediato e não há um filtro. Esses atletas podem sofrem com exposições que impactam negativamente a sua autoestima”, avalia o professor Hugo Tourinho Filho, da Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto (EEFERP) da USP.

Ainda segundo Tourinho Filho, as críticas e comentários maldosos podem desenvolver transtornos mentais, “os atletas podem sofrer com ansiedade e depressão”. Com a autoestima afetada e o desenvolvimento de transtornos mentais, o rendimento do atleta tende a cair de maneira significativa, causando a desvalorização da sua imagem e afetando de maneira mais intensa a saúde mental.  

Em alguns casos, a responsabilidade pelo baixo rendimento não é só devido às críticas, mas sim do próprio atleta. “A uso das redes sociais vem prejudicando o sono dos atletas, são vários os treinadores que, atualmente, reclamam dessa dependência dos aplicativos, inclusive de madrugada, o que prejudica o sono e, consequentemente a recuperação”, pontua Tourinho Filho. 

A falta de comunicação entre atletas e dirigentes também passou a ser uma preocupação, já que antes os vestiários e centro de treinamentos eram um espaço para se conversar, discutir táticas, estratégias e para falar sobre os objetivos nas competições. “Hoje, essa dependência das redes sociais, de certa forma, prejudica muito a comunicação entre os próprios atletas.” 

Fator Positivo

+ Mais

Fator psicológico pode ser determinante na carreira de jovens atletas

Em contrapartida, as redes sociais também podem ser valiosas aliadas dos esportistas, especialmente no âmbito financeiro e de marketing. Ao direcionar positivamente sua imagem e promover sua figura pública, os atletas podem atrair patrocinadores e estabelecer parcerias vantajosas. Contudo, o uso adequado e consciente dessas ferramentas é fundamental. “Saber fazer o controle do tempo de uso e, principalmente, usar as redes é muito importante para o atleta, desde que usadas de forma muito positiva, tanto para auxiliar no seu desempenho como na sua divulgação e, consequentemente, na busca por patrocinadores”, afirma o professor.

Em resumo, aqueles que sabem preservar a própria imagem, estabelecem limites de exposição e utilizam as plataformas de forma estratégica podem ser recompensados com muitos benefícios, tanto para o desempenho esportivo quanto para a projeção e busca por patrocínios.

*Estagiário sob supervisão de Ferraz Junior


Jornal da USP no Ar 
Jornal da USP no Ar no ar veiculado pela Rede USP de Rádio, de segunda a sexta-feira: 1ª edição das 7h30 às 9h, com apresentação de Roxane Ré, e demais edições às 14h, 15h, 16h40 e às 18h. Em Ribeirão Preto, a edição regional vai ao ar das 12 às 12h30, com apresentação de Mel Vieira e Ferraz Junior. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo do Jornal da USP no celular. 


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.