Existe diferença entre ética e lei, explica colunista

Renato Janine Ribeiro usa a questão do adultério para mostrar que a sociedade pode condenar determinados atos, mesmo que eles não sejam vistos como violação da lei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Imagem: Christ with the Woman Taken in Adultery, by Guercino, 1621 / Wikimedia Commons
Imagem: Christ with the Woman Taken in Adultery, by Guercino, 1621 / Wikimedia Commons

O adultério deixou de ser crime no Brasil em 2005, mas não deixou de ser visto pela sociedade como uma atitude condenável. Durante anos, a lei condenava adúlteros, especialmente as mulheres, que eram mais cobradas do que os homens.

O filósofo Renato Janine Ribeiro lembra, em conversa com a repórter Marcia Avanza, que em algumas sociedades as pessoas continuam sendo punidas e mesmo condenadas à morte pelo crime de adultério. No Brasil, no entanto, a sociedade tem uma visão crítica e considera o adultério uma falha ética, mesmo depois de ele ser retirado do Código Penal.
Ouça aqui.

logo_radiousp

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados