Emissão de gases do desmatamento deve ser a maior dos últimos anos

O aumento na emissão de gases do efeito estufa pode ser maior e ainda compensar a queda da emissão nos setores de energia, indústria e trânsito

Diferentemente da tendência mundial, as emissões de gases de efeito estufa no Brasil devem subir entre 10% e 20%, segundo dados do Observatório do Clima. Esses dados também indicam um forte aumento no desmatamento da Amazônia. Dessa forma, as emissões decorrentes de desmatamento são quase 30% maiores em 2020, considerando a média dos últimos cinco anos no Brasil, como comenta o colunista Glauco Arbix.

O professor reforça que esse aumento na emissão dos gases de efeito estufa deve ser maior e compensar a queda das emissões nos setores de energia, produção industrial e no trânsito em função da pandemia. “Esses estudos mostram que estamos contribuindo para aumentar o efeito estufa, emitindo quase 2 bilhões de toneladas brutas de gás carbônico”, explica Arbix.

Ele completa explicando que, apesar da estimativa não ser agradável, esse quadro mostra como o governo federal tem afrouxado a fiscalização e sido permissivo em relação àqueles que desmatam. “Ninguém entende como o governo funciona e a maneira como ele tenta proteger a Amazônia, o meio ambiente e, evidentemente, como ele protege as pessoas deste país”, finaliza.  

Ouça a íntegra da coluna no player. 


Observatório da Inovação
A coluna Observatório da Inovação, com o professor Glauco Arbix, vai ao ar toda segunda-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.