É preciso reordenar as coisas e retomar o caminho da preservação ambiental

Paulo Saldiva diz que, em tempo de quarentena, é preciso pensar na preservação das florestas e como melhorar a qualidade de vida e moradia das populações desfavorecidas

O professor Paulo Saldiva, na coluna Saúde e Meio Ambiente, dá uma pitada de esperança e otimismo, mesmo analisando que a vida não está muito fácil. Vivemos em tempo de pandemia de coronavírus, nuvem de gafanhotos, seca, altos níveis de desmatamento das florestas. “Precisamos reordenar as coisas e retomar o caminho da preservação ambiental”, analisa Saldiva.

A preservação das florestas é imprescindível e começa a cobrar o seu preço com a proliferação de mosquitos, vetores dos vírus da dengue e zika e a baixa qualidade de vida e moradia da população desfavorecida nas grandes cidades. Estes são alguns dos fatores que devem ser refletidos nestes tempos de quarentena. “Espero que trilhemos um novo caminho, mais virtuoso, quando tudo isso passar”, finaliza.


Saúde e Meio Ambiente
A coluna Saúde e Meio Ambiente, com o professor Paulo Saldiva, vai ao ar toda segunda-feira às 9h30, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção  do Jornal da USP e TV USP.

.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.