“Diplomacia tem credibilidade zero, impacto zero e capacidade de mediação zero”  

Para Marília Fiorillo, a diplomacia internacional perdeu sua credibilidade e a indignação contra a violação dos direitos humanos é tão comum que ninguém mais escuta

 25/06/2021 - Publicado há 4 meses

“Hoje são tão comuns palavras de ultraje e indignação contra violações dos direitos humanos que ninguém mais escuta”, afirma Marília Fiorillo em sua coluna Conflito e Diálogo. Para a professora, a indignação dura alguns dias e logo se desfaz.

“Quando essa exaltação vem com promessa de sanções, será que as sanções funcionam?” questiona. Um exemplo afirmativo é o Irã. O ex-presidente dos EUA, Donald Trump, cancelou o acordo nuclear e decidiu punir empresas que mantivessem os investimentos no país. O resultado disso foi o aumento da inflação, do desemprego e da miséria. “Sanções econômicas afetam mesmo a população, deixando ilesa a nomenklatura, essa linda palavra soviética que define os intocáveis e poderosos de sempre”, diz Marília. “O Irã é aquele caso em que elas funcionaram para pior”, acrescenta.

A professora cita também os exemplos de Bielorússia e Mianmar. Nesses casos, alguns países do Ocidente condenaram a escalada das violações aos direitos humanos, mas Rússia e China logo apareceram para apoiar regiões que funcionam como suas colônias. “A diplomacia hoje tem credibilidade zero, impacto zero e capacidade de mediação zero”, conclui Marília.  


Conflito e Diálogo
A coluna Conflito e Diálogo, com a professora Marília Fiorillo, vai ao ar toda sexta-feira às 10h50, na Rádio USP (São Paulo 93,7 FM; Ribeirão Preto 107,9 FM) e também no Youtube, com produção do Jornal da USP e TV USP.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.